A número um mundial de ténis, Ashleigh Barty, foi eliminada na terceira ronda do Open dos Estados Unidos, numa jornada em que o alemão Alexander Zverev passou aos oitavos de final, após a desistência do adversário.

A encerrar a terceira eliminatória em Flushing Meadows, onde o sérvio Novak Djokovic, o italiano Matteo Berrettini e a canadiana Bianca Andreescu, campeã de 2019, já haviam garantido a manutenção no último ‘major’ da temporada, uma grande surpresa caiu sobre o Arthur Ashe Stadium, com a derrota da australiana Ashleigh Barty.

A líder do ‘ranking’ WTA, detentora de dois títulos do 'Grand Slam', Roland Garros (2019) e Wimbledon (2021), perdeu com a norte-americana Shelby Rogers (43.ª WTA) em três ‘sets’, com os parciais de 6-2, 1-6 e 7-6 (7-5), em duas horas e oito minutos, depois de ter liderado a terceira partida por 5-2.

“Penso que o que mais aprendi é que ela é número um por alguma razão. Tirou-me tudo o que tinha esta noite para ganhá-la. Dei tudo o que tinha e consegui a vitória”, comentou no final Shelby Rogers, após ter conseguido se impor, pela primeira vez, à australiana no quinto confronto direto esta época.

Uma vez eliminada Barty, de 25 anos, a jogadora da casa vai medir forças agora com a jovem britânica e ‘qualifier’ Emma Raducanu, de 18 anos, que bateu a espanhola Sara Sorribes Tormo (41.ª WTA) para se estrear nos oitavos de final em Nova Iorque.

Na prova masculina, o alemão Alexander Zverev, número quatro do mundo, também assegurou a passagem aos oitavos de final, mas teve que se aplicar ante o anfitrião Jack Sock, que se apresentou a um bom nível e averbou o primeiro parcial do embate (6-3).

O vice-campeão em título reagiu bem e venceu os dois ‘sets’ seguintes, antes de ver o adversário desistir, com uma lesão na parte superior da perna direita, quando o marcador registava 3-6, 6-2, 6-3 e 2-1, ao fim de uma hora e 58 minutos.

“Se o Jack tivesse continuado a jogar ao nível que jogou no primeiro ‘set’, eu teria sido despachado em uma hora e meia e estaria a planear as minhas férias e passaria alguns bons momentos na próxima semana algures no sul de França. O Jack é um jogador incrível. Foi ‘top 10’, derrotou-me várias vezes e ganhou a jogadores de topo várias vezes. É campeão Master 1.000 e mostrou isso mesmo no primeiro ‘set’”, defendeu o germânico na entrevista em ‘court’.

Apurado pela terceira vez consecutiva para a fase seguinte da prova, um ano após perder a final para o austríaco Dominic Thiem, Alexander Zverev, que assinou 33 ‘winners’ e apenas 10 erros não forçados diante Sock, vai defrontar agora o italiano Jannik Sinner (16.º ATP), protagonista de uma dura batalha com o francês Gael Monfils, que acabou por vencer por 7-6 (7-1), 6-2, 4-6, 4-6 e 6-4.

Ao contrário de Zverev, o canadiano Denis Shapovalov, 10.º colocado no ‘ranking’ ATP, não conseguiu confirmar o favoritismo diante o sul-africano Lloyd Harris (46.º ATP) e foi afastado em três sucessivas partidas, por triplo 6-4, ao cabo de duas horas e 12 minutos.

O próximo adversário de Harris, de 24 anos, que se vai estrear na quarta ronda em Nova Iorque,  será o norte-americano Reilly Opelka, que eliminou o georgiano Nikoloz Basilashvili, por 7-6 (7-5), 6-3 e 6-4.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.