Os tenistas que estiveram em contacto com Benoît Paire, o primeiro infetado com a covid-19 na ‘bolha’ de Flushing Meadows, vão poder disputar o Open dos Estados Unidos, anunciou hoje a diretora do ‘Grand Slam’ norte-americano.

“Após o rastreamento lançado no entorno [Paire], foi tomada a decisão de manter esses jogadores no torneio, tendo também em conta os relatórios médicos, e eles estão autorizados a participar”, declarou Stacey Allaster ao canal especializado Tennis Channel.

A primeira mulher a ser nomeada diretora do US Open não adiantou, contudo, quantos jogadores estão em causa ou a sua identidade, embora o diário desportivo francês L’Équipe tenha avançado que os tenistas sob vigilância são os franceses Richard Gasquet, Grégoire Barrère, Edouard Roger-Vasselin e Adrian Mannarino.

No domingo, Benoît Paire, 22.º tenista do 'ranking' mundial e 17.º cabeça de série do torneio, foi afastado do segundo ‘major’ da temporada, por estar infetado com o novo coronavírus, e a organização traçou imediatamente uma linha de relações próximas do francês dentro da ‘bolha’ de Flushing Meadows, onde está a decorrer o US Open.

Alguns tenistas criticaram a opção da Federação norte-americana de ténis (USTA), responsável pela organização, de manter os contactos próximos de Paire em prova, acusando-a de incoerência, uma vez que no Masters 1.000 de Cincinnati, que se disputou precisamente no mesmo recinto, Guido Pella e Hugo Dellien foram retirados do quadro depois de o seu preparador físico ter tido um falso positivo num teste à covid-19.

De acordo com o New York Times, os tenistas que estiveram em contacto com Paire tiveram de assinar um acordo com um protocolo sanitário mais exigente, que os obriga a isolamento e a testes quotidianos ao novo coronavírus.

O jornal norte-americano revela ainda que aqueles jogadores ficarão confinados aos seus quartos de hotel, onde não poderão receber visitas, e de onde só poderão sair para os seus encontros, estando-lhes interditada a permanência nos espaços comuns da entidade hoteleira onde estão hospedados os participantes do US Open.

Em Flushing Meadows, o acesso aos balneários e ao refeitório está vetado a estes tenistas, que também deverão utilizar uma sala de ginásio, zonas de aquecimento e de treino específicas, segundo conta o New York Times.

“Ampliámos as normas do protocolo sanitário já em vigor”, limitou-se a dizer Stacey Allaster ao Tennis Channel, sem confirmar estas informações.

O US Open, segundo ‘Grand Slam’ da temporada, arrancou hoje, em Flushing Meadows, com a participação dos portugueses João Sousa e Pedro Sousa.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 847.071 mortos e infetou mais de 25,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (183.221) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 6 milhões).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.