A vitória de Marin Cilic no US Open, quarto e último “Grand Slam” da temporada, levou muitos croatas para as ruas na madrugada de hoje, pouco depois do triunfo do tenista sobre o japonês Kei Nishikori.

A imprensa croata deu o devido destaque ao êxito do jogador nas suas edições digitais. Para o Vecernji List, esta foi “a vitória de uma vida de um jogador que esteve imparável”.

O portal Index Internet considerou que Goran Ivanisevic, treinador do novo campeão do US Open e também vencedor de um “Grand Slam” (Wimbledon), “tem um sucessor, o fantástico Cilic, que ‘destruiu’ Nishikori”.

Em Zagreb, o encontro de Flushing Meadows foi transmitido num ecrã gigante no centro da capital, na Praça Jelacic, onde se juntaram algumas centenas de pessoas.

Na terra natal de Cilic, em Medjugorje, onde ainda vivem os seus pais, cerca de uma centena de pessoas juntaram-se nas ruas para festejar o triunfo do tenista.

Como o próprio jogador confessou na conferência de imprensa que se seguiu à final, a sua vitória no US Open foi celebrada “como se fosse um jogo do Mundial de futebol”

“Este é um dia especial para mim, mas para toda a Croácia. Estava toda a gente ‘colada’ à televisão, como se fosse um jogo do Mundial de futebol. Falei ao telefone com algumas pessoas que me disseram que eu não conseguiria imaginar a loucura que estava a ‘varrer’ o país”, explicou Cilic depois de vencer o primeiro “major” da carreira.

Ainda incrédulo com a vitória em Nova Iorque, Cilic confessou sentir-se “no topo do mundo” e a viver uma situação “um pouco irreal”, já que ganhar um torneio desta categoria “sempre foi um sonho de criança”.

Há quase um ano, Cilic foi suspenso por doping, mas, após quatro meses de suspensão, conseguiu deixar o castigo para trás e conquistar um dos torneios mais importantes do Mundo, com um triunfo justo sobre Nishikori, 10.º pré-designado, por 6-3, 6-3 e 6-3.

Em Flushing Meadows, e a menos de um mês de completar 26 anos, o 14.º cabeça de série fez um encontro quase perfeito e imitou o feito do seu treinador Goran Ivanisevic, que tinha sido o último croata a vencer uma prova do Grand Slam, em 2011, no torneio de Wimbledon.

“Estou mais forte mentalmente, mais exigente. Tenho conseguido divertir-me no ‘court’. Sinto-me mais relaxado e a desfrutar cada momento. Esse prazer de jogar devo-o a Goran [Ivanisevic]”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.