A escuderia Red Bull, campeã em título de Fórmula 1, admitiu hoje que está a decorrer uma investigação ao diretor desportivo da equipa, o britânico Christian Horner, por alegada conduta imprópria sobre um outro funcionário.

“Depois de ter tomado conhecimento de algumas alegações, esta companhia lançou uma investigação independente”, anunciou a Red Bull, em comunicado.

Este processo, “que já está em andamento”, está entregue “a um especialista externo”.

A equipa campeã mundial de construtores e de pilotos, com o neerlandês Max Verstappen, sublinha que encara “estes assuntos de forma extremamente séria” pelo que a investigação “será concluída o mais depressa possível”, lê-se ainda.

Por isso, os seus responsáveis escusam-se “a fazer mais comentários”.

O jornal neerlandês De Telegraaf foi o primeiro a noticiar o caso, dando nota de que em causa está o estilo agressivo da liderança de Christian Horner, de 50 anos, que nega as acusações.

Horner deverá continuar no cargo enquanto durar a investigação.

O britânico chegou à Fórmula 1 em 2005, com a entrada da Red Bull, equipa que comanda desde o seu início.

Soma seis títulos de construtores (2010, 2011, 2012, 2013, 2022 e 2023) e sete de pilotos (2010, 2011, 2012, 2013, 2021 2022 e 2023), os quatro primeiros com Sebastian Vettel e os três últimos com Max Verstappen.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.