O piloto britânico Lewis Hamilton disse hoje querer “acabar em grande” na Mercedes, que deixará no final de 2024 para rumar à Ferrari, numa das transferências mais marcantes da Fórmula 1.

“Estarei para sempre grato pelo incrível apoio da família Mercedes, em especial Toto Wolff [diretor-executivo da formação] pela sua amizade e liderança, e quero acabar em grande. Juntos. Estou 100% empenhado na melhor performance possível esta época e em fazer deste último ano memorável”, declarou, citado em comunicado dos alemães.

Primeiro surgiu o anúncio da Mercedes de que o piloto de 39 anos abandonaria a equipa ao fim de 12 temporadas e seis títulos conquistados (somados ao que trazia da McLaren, em 2008), logo seguido da confirmação, nas redes sociais, pela Ferrari, de que Itália seria o destino.

Para Hamilton, os últimos 11 anos foram “fantásticos”, mostrando-se orgulhoso do que foi conquistado, lembrando que a equipa faz parte da sua vida “desde os 13 anos”.

“Foi aqui que cresci, e tomar a decisão de partir foi das decisões mais difíceis que já tomei. Mas está na hora de dar este passo, e estou entusiasmado com o novo desafio”, declarou.

Toto Wolff, por seu lado, destacou a parceria com o piloto como “a mais bem sucedida de sempre neste desporto”, o que o enche de orgulho, guardando para Hamilton “uma parte importante na história da Mercedes”.

“Sabíamos que esta parceria acabaria de forma natural, algures no tempo, e esse dia chegou. Aceitamos a decisão do Lewis em procurar um novo desafio, e as nossas oportunidades para o futuro são entusiasmantes”, explicou.

Hamilton irá substituir Carlos Sainz a partir de 2025, pois o espanhol confirmou também a saída da escuderia italiana.

Lewis Hamilton chegou à Fórmula 1 em 2007, para representar a McLaren, então equipada com motores Mercedes, e acabou por conquistar o primeiro campeonato em 2008, numa luta com o brasileiro Felipe Massa, então na Ferrari.

Em 2013 juntou-se à equipa Mercedes, substituindo o alemão Michael Schumacher, que se retirou da modalidade pela segunda vez.

Hamilton viria a conquistar os títulos de 2014, 2015, 2017, 2018, 2019 e 2020, igualando o recorde de sete coroas conquistadas por Schumacher.

No entanto, nesta caminhada, Hamilton tornou-se o piloto com mais vitórias (103), mais pódios (197) e mais ‘pole positions’ (104) da história da Fórmula 1.

A senda de vitórias só foi interrompida em 2021, pelo neerlandês Max Verstappen e pela Red Bull, que veio colocar o fim ao domínio que a Mercedes exerceu ao longo de sete anos.

A temporada de 2024 será a última com os ‘flecha de prata’, antes de cumprir um sonho de criança e se mudar para a mais mítica das equipas, a única que participou em todos os campeonatos de Fórmula 1 já realizados.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.