Mick Schumacher assumiu, esta época, o papel de piloto de testes e desenvolvimento da Mercedes, depois de ter perdido o lugar na Haas F1 Team, em 2022, mas, para o ano, o piloto está de volta à competição. Com o regresso à Fórmula 1 pouco provável, o piloto alemão vai abraçar um novo projeto com a Alpine, no Mundial de Resistência (WEC).

A equipa francesa escolheu Mick como um dos seus pilotos, no ano que marca o regresso da Alpine à categoria principal de Hypercar, depois do alemão ter-se estreado a conduzir um protótipo de resistência, em outubro. Desta forma, Schumacher irá correr naquela que é a maior corrida do mundo, as 24h de Le Mans.

“Está a começar um novo capítulo para mim com a Alpine na categoria Hypercar do WEC. O carro é impressionante e mal posso esperar para começar. Cresci com monolugares, por isso conduzir um carro com um cockpit fechado e rodas cobertas é uma ótima oportunidade para aperfeiçoar as minhas capacidades de condução. Senti muito a falta das corridas este ano, é o que adoro fazer desde criança e, por vezes, era difícil ver os outros pilotos a entrar em pista. As corridas de resistência são um novo desafio para mim e tenho a certeza de que vamos partilhar grandes momentos no próximo ano com a Alpine”, disse Schumacher.

Nicolas Lapierre, Ferdinand Habsburg, Paul-Loup Chatin, Matthieu Vaxiviere e Charles Milesi completam a equipa da Alpine para o próximo ano na categoria rainha das corridas de resistência.

Mick vai ainda manter o papel de piloto reserva da Mercedes na Fórmula 1, no próximo ano.

Schumacher conquistou a Fórmula 4, a Fórmula 3 europeia e a Fórmula 2, antes de chegar à Fórmula 1, onde correu pela Haas, entre 2021 e 2022.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.