O piloto português Miguel Oliveira (KTM) disse hoje acreditar que o facto de não ter passado à Q2 no sábado influenciou o resultado final no Grande Prémio da Alemanha de MotoGP, no qual foi nono classificado.

Em declarações difundidas pela equipa KTM, o piloto português considerou que a corrida de hoje “foi quente, difícil e super-longa”.

“Não tivemos o melhor arranque e isso limitou o resultado final. O dia foi determinado pelo facto de ter falhado a passagem à Q2 [na qualificação, no sábado]”, disse Oliveira.

O piloto luso considerou ter demonstrado “bastante velocidade” mas “em termos de ritmo de corrida, não foi possível replicá-lo para garantir a posição” que queria.

“Saíamos de Sachsenring com outro nono lugar. É consistente mas não uma classificação para ficarmos super-contentes”, concluiu.

Oliveira, que partiu da 14.ª posição, concluiu as 30 voltas ao traçado de Sachsenring a 19,740 segundos do vencedor, o francês Fábio Quartararo (Yamaha), que somou a terceira vitória da temporada, segunda consecutiva.

Miguel Oliveira é, agora, 10.º, com 64 pontos, ultrapassando o espanhol Marc Márquez (Honda), que não correu por estar a recuperar da quarta operação ao braço direito.

A próxima ronda será o GP da Holanda, em Assen, em 26 de junho.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.