O piloto português Miguel Oliveira (KTM) qualificou-se hoje na oitava posição para o Grande Prémio do Japão de MotoGP, 16.ª de 20 provas da temporada, apesar de uma queda sofrida nos minutos finais.

O francês Johann Zarco (Ducati) foi o segundo, a 0,208 segundos, com o sul-africano Brad Binder (KTM) em terceiro, a 0,323 segundos.

Miguel Oliveira sai, assim, da terceira linha da grelha de partida, depois de ter sofrido uma queda quando faltavam apenas três minutos para o final de uma sessão que ficou marcada pela chuva, que provocou um atraso superior a uma hora e já tinha obrigado ao cancelamento da terceira sessão de treinos livres, durante a madrugada.

A queda do piloto português aconteceu no terceiro setor da pista, numa altura em que vinha a melhorar os seus tempos.

Quando os 15 minutos desta segunda fase da qualificação (Q2) se esgotaram, Oliveira era quarto classificado.

Contudo, vários pilotos vinham ainda a meio da última volta lançada e o piloto de Almada acabou superado pelo espanhol Jorge Martin (Ducati), por Brad Binder e pelos espanhóis da Aprilia Aleix Espargaró e Maverick Viñales.

A pole position acabou por ser conquistada por Marc Márquez 1071 dias depois de ter sido o mais rápido em qualificação numa prova do Mundial de MotoGP, precisamente no GP do Japão mas de 2019.

“Estou muito feliz pela pole. Esta manhã senti-me muito forte com a pista molhada e decidi tentar. É muito importante para nós e para o futuro. Amanhã, com o piso seco, será uma história diferente”, frisou o piloto espanhol, que já foi oito vezes campeão do mundo.

A chuva que se abateu sobre o traçado de Motegi foi uma dor de cabeça para pilotos e organização, que se viu obrigada a interromper a qualificação de Moto2 quando ainda faltavam nove minutos para o seu final, e a cancelar a terceira sessão de treinos livres de MotoGP.

A ação em pista só foi retomada mais de uma hora depois, com a pista ainda molhada a provocar várias quedas, incluindo a do piloto português da KTM, que deslizou para fora do asfalto, sem consequências físicas.

A Ducati de Johann Zarco foi hoje a mais rápida, batendo os 302 quilómetros por hora, com a KTM de Oliveira a perder 30 quilómetros por hora em reta (a velocidade máxima atingida pelo luso foi de 270 quilómetros por hora). Já a Ducati de Luca Marini foi a mais lenta, não indo além dos 255,9 quilómetros por hora, deixando o italiano no 10.º lugar.

O campeão e líder do campeonato, o francês Fábio Quartararo (Yamaha) foi nono classificado, atrás de Miguel Oliveira, enquanto o segundo classificado do Mundial, o italiano Francesco Bagnaia (Ducati) foi o 12.º e último desta Q2, que reúne os 10 mais rápidos dos treinos livres e os dois melhores da Q1.

Já o italiano Enea Bastianini (Ducati), vencedor da ronda anterior, em Aragão, ficou-se pela Q1, onde sofreu uma queda, sem consequências físicas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.