A Comissão de Grandes Prémios do Mundial de MotoGP acordou em consentir o uso de mais um motor por temporada, além dos sete permitidos, desde que o calendário inclua 21 ou mais provas, foi hoje anunciado.

Atualmente, o regulamento técnico de MotoGP permite que os fabricantes da categoria utilizem no máximo sete motores durante uma temporada (nove para os fabricantes com concessões), mas para um calendário com menos de 20 grandes prémios.

Como o calendário de 2022 prevê 21 corridas, a Comissão de Grandes Prémios acordou em permitir o uso adicional de mais um motor sempre que houver 21 ou mais provas. Este motor só pode ser usado a partir da 19.ª, inclusive.

Os regulamentos foram atualizados e agora indicam que, se houver menos de 21 corridas no calendário oficial emitido pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM) antes do início da primeira corrida, os fabricantes terão uma alocação máxima de sete motores (nove para fabricantes com concessões) e se houver 21 ou 22 terão oito motores (10 para os fabricantes com concessões).

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) segue no 10.º lugar do Mundial de MotoGP, com 43 pontos, liderado ao fim de seis etapas pelo francês Fabio Quartararo (Yamaha), com 89.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.