Mais de metade das 11 quedas sofridas pelo piloto português Miguel Oliveira (Aprilia) em corridas da categoria MotoGP do Mundial de velocidade foram provocadas por adversários.

De acordo com os dados estatísticos da MotoGP, desde 2019, ano da sua primeira temporada na categoria rainha do campeonato, Miguel Oliveira sofreu 11 quedas em corrida, seis delas provocadas por toques de adversários, como hoje aconteceu no Grande Prémio de Portugal, em que foi abalroado pelo espanhol Marc Márquez (Honda) na terceira volta.

As imagens da queda de Miguel Oliveira no GP de Portugal

Em 2019, quando estava na sua época de estreia, ainda com a KTM da Tech3, o piloto português foi abalroado pelo francês Johann Zarco (KTM) no Grande Prémio da Grã-Bretanha. A queda provocou uma lesão no ombro direito do piloto luso, que só conseguiu debelar no final da temporada.

Em 2020, no GP da Andaluzia, Oliveira foi abalroado novamente por um companheiro de marca. No caso, foi o sul-africano Brad Binder (KTM) a deixar o piloto de Almada fora de prova.

Nesse mesmo ano, o espanhol Pol Espargaró, outro piloto da KTM, marca pela qual correu Miguel Oliveira até 2022, abalroou o piloto português no GP da Áustria. O incidente acabaria por motivar uma troca de palavras entre os dois, com o luso a considerar que nem todos tinham “inteligência” em cima da mota.

A verdade é que, um ano mais tarde, em 2021, novamente no GP da Áustria, e novamente Pol Espargaró (agora já na Honda), deu um toque na mota do piloto português, provocando a sua queda.

Pior aconteceu no GP do Algarve desse mesmo ano de 2021, penúltima prova do campeonato. Novamente um colega de marca, o espanhol Iker Lecuona, foi responsável por deixar Miguel Oliveira por terra.

O piloto luso foi mesmo obrigado a sair de maca da pista, tal como aconteceu esta tarde após o choque de Marc Márquez contra a sua Aprilia.

As restantes cinco quedas sofridas em corridas de MotoGP pelo piloto português aconteceram sem intervenção de terceiros.

Miguel Oliveira sofreu ainda uma desistência, no GP da Estíria de 2021, por problemas técnicos com o pneu dianteiro da sua mota.

Em 2019, Miguel Oliveira falhou ainda as provas da Austrália, Malásia e Valência (as três últimas do campeonato) devido à lesão no ombro direito, agravada com uma queda nos treinos para o GP australiano, provocada por uma rajada de vento.

Veja o momento da queda de Miguel Oliveira no GP de Portugal

Desistências de Miguel Oliveira em MotoGP:

1. 2019 GP da Grã-Bretanha Queda Provocada por Johan Zarco (KTM)

2. 2020 GP da Andaluzia Queda Provocada por Brad Binder (KTM)

3. 2020 GP da Áustria Queda Provocada por Pol Espargaró (KTM)

4. 2020 GP da Catalunha Queda sozinho

5. 2021 GP de França Queda sozinho

6. 2021 GP da Estíria Avaria problema técnico pneu dianteiro

7. 2021 GP da Áustria Queda Provocada por Pol Espargaró (Honda)

8. 2021 GP da Emilia Romagna Queda sozinho

9. 2021 GP do Algarve Queda Provocada por Iker Lecuona (KTM)

10. 2022 GP do Qatar Queda sozinho

11. 2022 GP de França Queda sozinho

12. 2023 GP de Portugal Queda Provocada por Marc Márquez (Honda)

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.