Tänak concluiu este segundo dia da nona prova do Campeonato do Mundo de Ralis com o tempo de 1:58.55,2 horas, tendo 8,2 segundos de vantagem sobre o britânico Elfyn Evans (Toyota Yaris), segundo, e 1.09,8 minutos sobre o finlandês Esapekka Lappi (Toyota Yaris), que é terceiro.

“Durante toda a manhã lutámos contra problemas de transmissão, que nos deixaram em alguns momentos sem tração às quatro rodas. Na pausa de almoço conseguimos alterar isso e tivemos uma boa tarde”, frisou o estónio.

Thierry Neuville, que liderava desde o final do dia de sexta-feira com uma vantagem de 20 segundos, despistou-se para uma vala ao quilómetro 6,4 da penúltima especial do dia, em Wijtschate.

O piloto belga conseguiu retirar o carro do local com a ajuda do público mas acabaria por desistir pouco depois com danos na frente do seu Hyundai.

“É uma grande desilusão para toda a equipa e para os nosso adeptos, que estiveram em força a apoiar na estrada ao longo de todo o fim de semana. Vinha de um gancho à esquerda, a baixa velocidade, em alcatrão escorregadio, que estava cheio de terra dos carros que passaram antes. Não tínhamos nenhuma indicação nas notas e não nos apercebemos que pudesse ser tão perigoso”, explicou o piloto belga.

Neuville lamentou a desistência pois “o objetivo era, claramente, lutar pela vitória”, até porque o líder do campeonato, o finlandês Kalle Rovanperä (Toyota Yaris), desistira na sexta-feira devido a despiste.

O piloto de 21 anos regressou este sábado à prova mas ocupa a última posição.

No domingo, os pilotos enfrentam 51,34 quilómetros cronometrados, divididos por quatro especiais.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.