O piloto natural de Cascais, que largou da ‘pole position’ para esta 16.ª e última prova da temporada, acabou por cortar a meta na 10.ª posição, a 22,226 segundos do vencedor, o suíço Edoardo Mortara (Venturi).

O belga Stoffell Vandoorne (Mercedes) foi segundo classificado, a 3,756 segundos do vencedor e, com isso, sagrou-se campeão mundial de Fórmula E, enquanto o britânico Jake Dennis (Andretti) foi terceiro, a 6,649 segundos.

Com este resultado, Félix da Costa perdeu duas posições no campeonato, caindo de sexto para oitavo.

“Foi duro perder este pódio desta forma, principalmente, porque queria fechar este ciclo com um pódio. Fizemos a ‘pole’ e tínhamos andamento para terminar em segundo, mas, enfim, é um pouco frustrante, mas corridas são mesmo assim”, começou por dizer o piloto luso, em declarações difundidas pela sua assessoria de imprensa.

Esta foi a última corrida de Félix da Costa pela atual equipa, a DS Techeetah, com a qual conquistou o título em 2020.

“Despeço-me da equipa para abraçar um novo projeto, um grande desafio que aí vem. Vivi aqui grandes momentos, em especial o título mundial que ganhámos juntos em 2020, trabalhei com excelentes profissionais, muitos deles que se tornaram amigos. É um fim de um ciclo e estou muito grato por estes três anos”, disse ainda Félix da Costa.

Stoffell Vandoorne, que venceu apenas uma prova este ano, sagrou-se campeão com 213 pontos, contra os 180 do neozelandês Mitch Evans (Jaguar), que hoje foi apenas sétimo.

Félix a Costa, com 122 pontos, foi oitavo.

A Mercedes conquistou o campeonato de construtores.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.