- Porto teve ontem a 6ª derrota em 25 jornadas da Liga Portuguesa. Luís Castro estava no comando de 33% das mesmas. Não terá culpa, mas será que a verdadeira mensagem que Luís Castro tem passado para os jogos contra o Nápoles ou Benfica na Taça de Portugal é a mesma que passa nos jogos internamente? No Dragão, 5ª feira com o Sevilha vamos perceber.

- Há por aí algum estudo que nos diga quantos clubes e treinadores que perdem jogos não fazem críticas ou responsabilizações à arbitragem?

- Ricardo Quaresma teve um comportamento intraduzível após o fim do jogo com o Nacional. Duas coisas: qualquer que tenha sido a razão, não justifica aquele comportamento. Em Portugal, jogadores com comportamentos piores já foram convocados para a seleção, por isso, Paulo Bento estás à vontade.

- Jorge Jesus faz bem ou mal a gestão do cansaço físico e mental dos seus jogadores? Como em muita coisa, só o final ditará leis. Mas substituições no final do jogo não dá para ficar com a ideia que se gere alguma coisa. Vamos esperar por 5ª feira para perceber quem joga na Holanda e se o AZ é um adversário que permitirá alguma rotatividade.

- Faltam quinze pontos por disputar. Porto está a quinze pontos do primeiro classificado. A oito do Sporting que tem um orçamento duas ou três vezes mais pequeno. Deveria ou não ser um motivo preocupante para as hostes portistas?

- Luís Castro trouxe uma lufada de ar fresco relativamente a Paulo Fonseca. Mais fácil ouvir as suas conferências de imprensa e para entender o papel de ser treinador num clube como o Porto. Mas já começou a focar-se mais na arbitragem do que nos jogadores. Infelizmente, será mais um que focar-se-á mais nos erros dos outros e não deles.  

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.