O dérbi do próximo domingo oporá os velhos rivais de Lisboa. Desta feita existem ingredientes muito particulares que conferem um ambiente mais emocional ao jogo. Como será recebido o ex-treinador do Benfica? E como reagirão os seus ex-jogadores após a derrota com o Sporting na Supertaça?
A surpreendente mudança do treinador Jorge Jesus para o Sporting e a contratação de Rui Vitória pelo Benfica, levou-nos no passado mês de junho a explorar as eventuais vantagens e desvantagens destas mudanças em ambos os clubes.

Hoje, propomo-nos revisitar esse artigo. Dissemos na altura que a principal vantagem da contratação de Jorge Jesus pelo Sporting seria o aumento do rendimento a curto prazo da sua equipa. Neste momento, o Sporting é um dos líderes do campeonato e apresenta uma forma de jogar estável e consolidada. Afirmámos também que a entrada de Rui Vitória traria uma perda de rendimento a curto prazo, fruto de um processo de adaptação dos jogadores, treinador e clube. O desempenho conturbado do Benfica, quer na pré-época, quer no início da Liga, parece demonstrar que assim foi. Mas como prevíamos também, o desempenho foi melhorando e atingindo um nível cada vez mais elevado com o desenrolar do tempo.

Nesse mesmo artigo levantamos uma outra questão, relacionada com o impacto que os novos treinadores trariam ao investimento na formação e potenciação de jogadores. A nossa hipótese foi de que o Sporting corria o risco de perder a sua identidade de clube formador, enquanto o Benfica teria finalmente encontrado um treinador alinhado com essa visão estratégica.

O tempo passado por cada um destes treinadores nos seus respetivos clubes foi extremamente curto. Qualquer conclusão que se possa obter acerca deste assunto, para já, corre o risco de ser precoce. Mesmo assim, propomo-nos ‘olhar’ com algum detalhe para este assunto, face ao decurso das jornadas efetuadas na 1ª Liga (7 para o Sporting e apenas 6 para o Benfica). Qual será afinal a utilização de jogadores jovens que ambos os treinadores têm feito neste início de campeonato? O que poderemos daqui inferir?

Comecemos por analisar os jovens jogadores utilizados até este momento por ambos os treinadores. Como critério, analisámos os jogadores nascidos no ano de 1993 ou anos posteriores, ou seja, que completem no máximo 22 anos até final do ano de 2015. Quem são eles? Por parte do Sporting são 6 jogadores: João Mário (554 minutos), Ricardo Esgaio (381 minutos), Gelson Martins (307 minutos), Carlos Mané (201 minutos), Tobias Figueiredo (96 minutos) e Jonathan Silva (27 minutos). Por parte do Benfica são 5 jogadores: Nélson Semedo (569 minutos), Gonçalo Guedes (316 minutos), Anderson Talisca (178 minutos), Vítor Andrade (133 minutos) e Nuno Santos (19 minutos). Os tempos de jogo apresentados referem-se apenas aos jogos efetuados na 1ª Liga. É importante reter que o Sporting disputou mais um jogo que o Benfica. Em termos globais, o Sporting apresenta um total de 1560 minutos jogados por jogadores jovens, enquanto o Benfica apresenta um total de 1200 minutos. Contudo, o facto do Benfica ter menos 1 jogo esbate um pouco mais estas diferenças.

Mas olhemos para um outro indicador. Quantos jogadores jovens jogaram pela primeira vez nas respetivas equipas principais na presente temporada? O Benfica apresenta 3 novas aparições (Nélson Semedo, Vitor Andrade, Nuno Santos), enquanto o Sporting apresenta apenas 1 nova aparição (Gelson Martins). Será isto um sinal de que o Benfica mudou a sua política de investimento em jogadores jovens na equipa principal?

Para tentar complementar e clarificar esta ideia, fomos comparar a percentagem de utilização dos jogadores jovens que permaneceram no plantel da temporada passada para a corrente temporada. No global, os 4 jogadores do Sporting nesta situação apresentam uma taxa de utilização de -47 %, enquanto os 2 jogadores do Benfica apresentam uma taxa de utilização de +29%.

Apesar da precocidade que estes dados possam ainda apresentar (poucas jornadas), parece-nos que começa a existir alguma evidência a suportar a hipótese que levantámos. Falta saber se algum destes jovens jogadores poderá decidir o desfecho do dérbi do próximo domingo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.