A seleção regressou aos bons resultados. Venceu os últimos três jogos e não sofreu nenhum golo. Falamos em resultados porque perante a Rússia a exibição foi apenas suficiente e onde voltámos a realizar um futebol desgarrado. Após a marcação do golo, gerimos e controlámos como podemos a reação russa, mas sofremos e passámos por alguns sustos. Contudo, conseguimos os três pontos os quais nos garantem o regresso ao Play-Off.

Este jogo com a Croácia foi um bom teste. Os croatas estão bem cotados no ranking mundial, estão dois lugares à frente de Portugal e poderão vir a ser o nosso adversário no Play-Off. Fazem parte do grupo A, no qual estão colocados no segundo lugar. Porém, creio que podem vencer o grupo dado que os seus opositores são muito fracos.

Paulo Bento continua a tentar melhorar o futebol da seleção, mas a equipa tarda em adquirir uma identidade e por isso, creio, que é necessário renovar a filosofia de jogo da seleção. Ontem, no particular frente à Croácia, o nosso selecionador aproveitou simultaneamente para dar oportunidade a vários jogadores, para que eles se mostrarem, e também para ensaiar algumas variantes do seu modelo preferido: o 4x3x3.

Ontem, Paulo Bento deu mais liberdade a João Moutinho, o qual jogou mais solto, mais adiantado, com maior pendor ofensivo e mais próximo do ariete, deixando a missão mais defensiva para Ruben Amorim e Custódio. Talvez, dada a inteligência, a visão e a técnica do novo monegasco, e também porque os croatas não pressionaram e defendiam muito mal, a nossa seleção criou vários momentos de bom futebol.

Contudo, o mais surpreendente foi a utilização de Hugo Almeida como médio-ala esquerdo, sabendo-se que Cristiano é um jogador construtivo e finalizador, mas quando atua na ala acaba por não ter apetência a defender. Para manter o equilíbrio defensivo no acompanhamento do lateral direito, desta vez tocou a Hugo Almeida, como já esporadicamente no europeu tinha tocado a Hélder Postiga.

Cristiano Ronaldo é um jogador com preponderância ofensiva e precisa de liberdade para fazer o que fez ontem, criar o pânico nas defesas adversárias e marcar golos. Um jogador criativo, rompedor e um marcador como o C7 devia jogar no corredor central. O porquê de o melhor jogador do mundo ser relegado para a ala-esquerda onde rende menos, é que eu não entendo.  

Depois da exibição e do rendimento que a colocação de Cristiano Ronaldo no eixo de ataque originou, tudo indica que é para continuar. Já Hugo Almeida na ala é que é desnecessário. A seleção está muito bem servida de extremos e a entrada de Vieirinha reforçou essa posição. Agora tudo depende se Paulo Bento irá manter o 4x3x3 e o CR7 no centro de ataque, ou experimenta para mudar para um 4x4x2, com o duo atacante: Cristiano e Postiga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.