Está frio não está?
Portugal transformou-se nos últimos dias num pequeno iglo na península ibérica.
As minhas primeiras palavras são mesmo para as pessoas responsáveis por organizar um Mundial às portas do nosso Inverno. Se este Mundial já não ia deixar saudades devido a toda a conjuntura que o rodeou, pensar nele e lembrar-me do pingo no nariz, dos espirros, tosse, ruas vazias e chá de limão com mel em vez de cerveja em nada vai abonar a seu favor.

Vamos ao jogo ou à tentativa frouxa da Selecção em alcançar três vitórias em três jogos.

Nunca uma derrota soube tão bem, certo?
Perder ontem com a Coreia permitiu a Portugal vingar-se do Uruguai que nos eliminou do Mundial de 2018. Tomem lá uruguaios, arranjassem um treinador como o nosso que com um dos melhores plantéis do Mundial consegue perder com a Coreia do Sul. Claro que este é o pensamento romântico da coisa, ver um jogo de uma forma doente como a vossa namorada vê a vossa relação de amizade com a vossa ex-namorada.

Na prática Portugal perdeu porque não joga um chavo.
O jogo ainda se iniciou como uma paixão de adolescência, intensa e marcante para depois terminar do mesmo modo que esses namoros terminam, em depressão e trocados por alguém.
Acho que o grande problema terá sido o facto de Fernando Santos ter dito que deveríamos estar atentos ao Kim. Na minha opinião, essa opção poderá ter confundido um pouco as marcações e  permitir tanto espaço na nossa defesa.
A seleção portuguesa passou tanto ao lado do jogo que por pouco se cruzava com a Coreia do Norte em campo.

Este jogo fica marcado por mais um momento à Cristiano Ronaldo. Cristiano aquando da sua substituição começou a reclamar com um jogador coreano. Não sei bem se o jogador coreano terá entendido o calão de Ronaldo. Cá para mim o Cristiano estaria a pedir ao jogador coreano, para a sua irmã, Katia Aveiro participar no próximo videoclipe do 'Gangnam Style' e quando o coreano lhe respondeu que preferia partir as duas rótulas em quatro sítios a ouvir a Katia a cantar, o Cristiano insultou-o.

O jogo de ontem foi tão fraco, tão mal conseguido que em vez de dó meteu a escala musical completa em cima dos portugueses.

Bem esteve o António Costa que simulou uma lesão para não ir ao Catar assistir ao jogo e assim estará fresco que nem uma alface para estar presente nos oitavos de final. Ainda para mais um jogo que irá juntar portugueses e emigrantes. Tendo em conta o estado das nossas finanças só não se organiza uma feira de empregos disponíveis na Suíça para os portugueses que vão assistir ao jogo, porque só lá conseguem ir os que têm os bolsos recheados. O povo que ama o futebol tem de estar de manta e botija de água quente a ver pela televisão.

Analisando assim de um modo saloio a Suíça, podemos afirmar que é um país que no fundo é uma espécie de Catar da Europa. Tem leis diferentes e muitos emigrantes na base da sua estrutura social. A diferença é que os suíços respeitam as pessoas, em vez de petróleo têm chocolate e só podem ter uma mulher, pelo menos publicamente.

A partir de agora já sabem como diz o velho ditado Fernandosantino, vai ser de empate em empate até à vitória final!

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.