Quem terá mais mentalidade competitiva na 2ª mão do embate entre os alemães e portugueses? Provavelmente esta resposta será, se não a principal, uma das principais razões que irá decidir quem passará às meias-finais.

Aquando do sorteio, poucos dariam grandes hipóteses de sucesso ao Porto no confronto com o poderoso clube alemão. O conjunto de jogadores do Bayern que se encontram lesionados terá tido uma grande influência no menor poder competitivo que a equipa alemã apresentou no estádio do Dragão. Mas a principal razão poderia ter sido essa, se não tivessem acontecido dois fenómenos quase de extremos:

- Um Porto altamente competitivo, aguerrido, pressionante, intenso e inteligente no modo como entrou em jogo, e na 2ª parte, quando se poderia pensar que seriam dominados pelo Bayern Munique, conseguiram continuar a surpreender Guardiola, não apenas do ponto de vista táctico, mas também na intensidade demonstrada.

- E a outra razão, também ela muito relevante, o modo como o Bayern, mesmo surpreendido, demonstrou ao não conseguir responder nem ao nível de atitude. Um Bayern que após o 0-2, conseguiu segurar o jogo, reduzir e pensou-se que na 2ª parte poderiam empatar e assegurar um bom resultado. Mas não, Guardiola pareceu que nunca esperou qualquer resposta do Porto e quase que considerava o 1-2 um mal menor.

Terça-feira pode ser um marco não apenas para o clube português e Portugal, mas também para quem defende ou ataca o futebol de posse e passe. A ver vamos. Com os defesas laterais castigados do Porto, há algo que saberemos sempre à partida. Apesar da rotatividade, não haverá substitutos aos seus níveis. Com Ricardo, Indi ou outros jogadores nas laterais, haverá maiores receios para as lides portistas nesse campo. Mas neste jogo a atitude tem de ser a mesma. Não pode ser menos. Sabendo que não haverá já tanta margem para a surpresa. Na cabeça de Lopetegui muita coisa deve andar por lá, entre elas, que postura ter em jogo: gestão, expectativa, domínio, segurança, surpresa, etc.

No lado alemão, precisam não só que os jogadores apresentem melhores índices físicos, a entrada de Ribery (bluff até à hora do jogo como Jackson?) pode ser decisiva especialmente se intensificar na lateral mais débil e terem algo que não existiu na 1ª mão: mentalidade competitiva. Certamente terão muita, só assim conseguiram o que conquistaram até ao presente momento. Mas na 4ª feira passada nada se viu.

Por fim, Guardiola. Esteve menos bem na 4ª feira porque a equipa acaba por ser um pequeno ou grande reflexo do seu trabalho. Mas continua a ser um belo treinador que muita faz falta a quem gosta de futebol. A sua margem de erro vai sendo reduzida com o possível segundo fracasso na Liga dos Campeões. Vai ser um jogo bastante interessante e cá estaremos para ver com a certeza que nestes momentos, as emoções e a mentalidade competitiva vão ser factores-chave!

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto