O Al Hilal da Arábia Saudita acaba de ser excluído da Liga dos Campeões Asiáticos de futebol. Os atuais campeões da prova foram afastados pela Confederação Asiática de Futebol por se terem apresentado para jogar apenas com nove jogadores em campo e dois guarda-redes no banco, no jogo da 5.ª jornada frente ao Shabab Al-Ahli Dubai FC, do Dubai, devido a um surto de COVID-19 no plantel que afeta 15 jogadores.

Ora as regras da Campeões Asiáticos de futebol dizem que uma equipa deve apresentar-se, no mínimo, com 13 jogadores, mas o Al Hilal só tinha 11, pelo que foram afastados da prova, numa altura em que já estavam apurados para a próxima fase.

Aliás, de acordo com o artigo 4.3 do regulamento aplicável às competições da AFC durante a pandemia, qualquer equipa nesta situação é obrigada a desistir da prova. De resto, na semana passada, o Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, também foi excluído da prova pelas mesmas razões.

"Todos os jogos realizados pelo Al-Hilal, que apenas tinha 11 jogadores disponíveis, são considerados nulos e sem efeito, em concordância com o artigo 6 dos regulamentos da Liga dos Campeões asiática", informou a AFC.

As regras da prova permitem que cada equipa registe 35 jogadores mas o Al Hilal só inscreveu 30. Desses, apenas 27 viajaram para Doha, no início da Champions Asiática.

A equipa saudita chegou a divulgar o onze que ia entrar em campo frente a equipa do Dubai no estádio Khalifa, em Doha. Um onze formado por oito jogadores de campo e três guarda-redes, dois deles a avançado mas, quase perto do apito inicial, o técnico da equipa, Razvan Lucescu, filho de Mircea Lucescu, optou por alinhar apenas com nove atletas e ter os dois guarda-redes no banco.

Este facto levou o comissário de jogo cancelar a partida, quando as duas equipas já estavam em exercícios de aquecimento. O caso foi imediatamente comunicado à Confederação Asiática de Futebol que decidiu excluir os atuais campeões da prova.

A exclusão do Al Hilal, que já tinha garantido o apuramento no Grupo B, acaba por dar o apuramento ao Pakhtakor, do Uzbequistão, e ao Shabab Al Ahli, de Dubai. Todos os jogos realizados pelo emblema saudita foram anulados.

O Al Hilal tinha pedido o adiamento do jogo por causa dos 15 casos de COVID-19 no plantel mas a Confederação Asiática de Futebol manteve-se irredutível e insensível e rejeitou o pedido, justificando que o mesmo "teria um enorme impacto negativo na calendarização da Liga dos Campeões, pelo que nenhuma exceção seria concedida".

O técnico Razvan Lucescu ainda tinha esperanças em contar com mais dois jogadores mas Salman Al Faraj e Hamad Al Abdan não recuperaram a tempo, pelo que apenas restavam 11 atletas saudáveis no plantel.

O Al Hilal já tinha atuado na última ronda da Champions asiática privado de 15 jogadores, todos infetados com COVID-19, tendo empatado a zero bolas com o Shahr Khodor do Irão, no passado sábado. Na altura o clube pediu o adiamento do jogo mas a AFC mostrou-se intransigente com o campeão asiático.

Sem o avançado francês Bafétimbi Gomis ou médio italiano Sebastian Giovinco, os sauditas não arriscaram a utilização do capitão Salman Al Faraj (no sábado já testou negativo), e alinharam sobretudo com juniores, mantendo somente três suplentes no banco, contra os oito do opositor iraniano.

Seis elementos da equipa técnica, liderada por Razvan Lucescu (filho do treinador Mircea Lucescu), médica e administrativa também apresentaram resultados positivos para o coronavírus, num clube mergulhado no caos sanitário. O Al-Hilal tem 31 pessoas infetadas com o novo coronavírus, entre jogadores e elementos do clube.

Segundo o presidente do clube, a disseminação do vírus começou em 7 de setembro, durante uma festa para comemorar a vitória no campeonato saudita.

O clube deverá tomar medidas nos próximos dias e, tudo indica que irá recorrer à FIFA.

A Liga dos Campeões asiática foi suspensa em março, devido à pandemia de covid-19, sendo que os quatro grupos compostos por equipas da zona oeste (A, B, C e D) retomaram a competição este mês, com todos os encontros a serem realizados no Qatar.

Já os quatro grupos da zona este (E, F, G e H) têm previsto retomar os jogos em 15 de novembro.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 971.677 mortos e mais de 31,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

*Artigo atualizado às 22h11

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.