O presidente do Petro de Luanda, Tomas Faria, negou esta quinta-feira, em Luanda, haver qualquer dívida com o ex-atleta Avelino Lopes, por ausência de prova documental assinado entre as partes.

De acordo com o responsável, que falava em conferência de imprensa, na sua sede, houve um encontro entre o antigo avançado e o seu respectivo advogado, onde colocou-se a hipótese de se pagar a referida dívida à antiga estrela tricolor, caso este apresentasse comprovativo documental dentro de um período de cinco dias, findo quarta-feira, mas até o momento os lesados não apareceram.

O dirigente tricolor explicou tratar-se de um processo de há 17 anos, na qual a defesa do antigo jogador apresentou um atestado de uma relação antiga, que diz se o atleta Avelino Lopes se transferisse para fora do país, o Petro Luanda pagaria um valor a homóloga do Huambo e não ao queixoso, o que não tem a ver com a sua reclamação.

Por outro lado, disse que o seu elenco tem todo o interesse em liquidar qualquer dívida com o ex-futebolista, desde que este prove documentalmente que existe ou existiu, daí que admitiram até a proposta de depositarem o valor na conta da Federação Angolana de Futebol (FAF) com autonomia de transferir para o antigo internacional caso reunisse as provas e de devolver à turma do eixo viário caso o recurso provasse o contrário.

Esta conferência de imprensa visa ripostar um comunicado da FAF sobre os clubes em risco de participar no presente Girabola, por dívida com ex-jogadores.

Avelino Lopes reclama uma dívida de 60 mil dólares pela sua transferência ao futebol egípcio, em 2001, onde representou o Al Ahly até 2003.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.