Os sócios do Petro de Luanda decidiram, neste sábado, voltar ao antigo símbolo do clube, alterado em Junho de 2017, alegadamente para maior divulgação do seu património visual.

Reunidos em Assembleia-geral extraordinária, na sede da colectividade, na capital do país, a massa associativa foi unânime quanto o retorno ao anterior logótipo, cuja características se ajustam melhor à história da colectividade.

Entre outras ligeiras mudanças, na actual marca foi incorporada a cor azul e se encurta a designação da agremiação para apenas Petro de Luanda, contrariamente ao logo anterior, novamente aprovado, onde se vislumbra "Atlético Petróleos de Luanda".

Quanto ao conclave, orientado pelo vice-presidente da Assembleia-geral, Paulino Jerónimo, foi aprovado o relatório da gestão e o exercício financeiro de 2019, bem como o regulamento eleitoral.

Decidiu-se que dia 13 de Julho será reservado à entrega da lista ou listas concorrentes ao mandato de 2020/2024, enquanto o pleito eleitoral acontece dia 18 do mesmo mês.

Em declarações à imprensa, Paulino Jerónimo afirmou que a perspectiva é ter um Petro virado para o negócio “porque, definitivamente, não se pode continuar a depender de um patrocinador, a Sonangol”.

“A perspectiva é conseguirmos várias fontes de financiamentos”, reiterou, acrescentando ser um trabalho cujos resultados serão dados a conhecer publicamente na devida altura.

Fundado em 1980, o Petro de Luanda é dos mais carismáticos clubes de Angola, com cerca de nove mil sócios.

Tendo o futebol, basquetebol e andebol como modalidades mais representativas, a agremiação movimenta ainda o voleibol, hóquei em patins, ginástica, atletismo, karaté-dó, vela e ciclismo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.