Os insultos dirigidos ao avançado maliano Moussa Marega no domingo, no encontro entre FC Porto e ao Vitória de Guimarães, da 21.ª jornada da I Liga, compõem o mais recente episódio de racismo associado ao futebol.

O antigo jogador dos minhotos ouviu cânticos discriminatórios vindos das bancadas do Estádio D. Afonso Henriques e pediu para ser substituído ao minuto 71, numa altura em que os ‘dragões’ venciam por 2-1, resultado que se manteve até ao apito final.

Moussa Marega, de 28 anos, juntou-se a uma longa lista de jogadores que já se viram envolvidos em episódios racistas ao longo dos anos, tornando-se mesmo o primeiro jogador a sair de uma partida de futebol por vontade própria em solo português.

O último caso do género no escalão máximo deu-se em novembro de 2017, quando o Sporting de Braga foi punido com um jogo à porta fechada e uma multa de 22.950 euros devido aos atos discriminatórios dos adeptos no triunfo sobre o Desportivo das Aves (2-0), em 20 de agosto, da terceira jornada da I Liga, numa decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) revertida em janeiro de 2018.

Menos sorte junto da mesma instância teve o Rio Ave, que enfrentou uma coima de 536 euros em março de 2017, onze meses após cânticos racistas proferidos contra o médio Renato Sanches, que ajudou o Benfica a vencer (1-0) na 31.ª ronda do campeonato.

O Leixões, da II Liga, é o clube português mais reincidente nesta matéria, pois pagou 16.421 euros em março de 2016 e foi obrigado a arrancar a época seguinte com dois jogos sem público, por causa das ações dos adeptos na visita ao Desportivo das Aves (0-1) e nas receções ao Farense (1-1) e Oriental (3-3).

Três anos antes, em abril de 2013, a FPF determinou que os matosinhenses defrontassem os avenses à porta fechada, na 35.ª jornada da II Liga, aplicando a primeira pena em Portugal por comportamento racista dos adeptos, a partir dos incidentes verificados na receção ao Belenenses (1-1), da 11.ª ronda, em 27 de outubro de 2012.

A sanção aplicada ao Leixões assentou na violação do artigo 113.º do Regulamento Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), que pune “comportamentos discriminatórios em função da raça, religião ou ideologia”, mas foi suspensa com uma providência cautelar aceite pelo Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa.

O racismo também chegou ao futebol feminino e a avançada norte-americana Shade Pratt revelou ter sido vítima de ofensas de uma adepta do Cadima na goleada imposta pelo Sporting de Braga em Cantanhede (7-0), em 13 de outubro, na terceira jornada da I Liga.

As minhotas expuseram o caso à FPF, cujo Conselho de Disciplina suspendeu por 30 dias as jogadoras Maria Malta e Catarina Lopes, do A-dos-Francos, por insultos racistas dirigidos à brasileira Milena Bispo, do Boavista, na derrota da 19.ª jornada (3-2).

A nível europeu, a UEFA e diversos organismos nacionais têm apertado o combate ao racismo, como evidenciou a Federação inglesa em novembro de 2019, ao culpar o internacional português Bernardo Silva de conduta imprópria e ofensiva num ‘tweet’ sobre o francês Benjamin Mendy, colega de equipa no Manchester City.

Apesar da investigação ao incidente ter concluído que a imagem não tinha como objetivo ofender o defesa, colega de equipa e amigo desde os tempos em que ambos jogavam no Mónaco, o avançado foi suspenso por um jogo e multado em quase 60.000 euros.

Entre setembro e outubro de 2019, o apuramento para o Euro2020 acarretou castigos para as seleções de Bulgária (85.000 euros), Roménia (83.000), Hungria (67.125) e Eslováquia (20.000), todas intensificadas com um jogo à porta fechada.

A Sérvia recebeu corretivo semelhante, traduzido numa coima de 33.250 euros, ficando ainda sujeita a um período de liberdade condicional de um ano pelo Comité Disciplinar da UEFA, por manifestações racistas na derrota com Portugal (4-2), em 07 de setembro.

Cronologia dos principais casos de racismo ligados ao futebol:

-- 14 de fevereiro de 2020: O Cagliari baniu de forma permanente três adeptos do seu estádio, após terem sido identificados por comportamentos racistas e insultos aos jogadores adversários em encontros da Liga italiana.

-- 27 de janeiro de 2020: O Espanyol identificou 12 adeptos envolvidos na imitação de sons de macaco ao avançado basco de origem ganesa Iñaki Williams, quando estava a ser substituído aos 69 minutos do empate caseiro com o Athletic Bilbau (1-1), em 25 de janeiro, para a 21.ª jornada do campeonato.

-- 08 de janeiro de 2020: A Lazio foi punida com uma coima de 20.00 euros pelo Conselho de Disciplina da Liga italiana devido às atitudes dos adeptos, que obrigaram à interrupção aos 30 minutos da vitória sobre o Brescia (2-1), da 18.ª jornada, por cânticos racistas entoados na direção do avançado Mario Balotelli.

-- 21 de novembro de 2019: O avançado brasileiro Taison recebeu um jogo de castigo pela Associação Ucraniana de Futebol, depois de ter sido expulso aos 85 minutos da vitória do Shakhtar Donetsk sobre o Dínamo Kiev (1-0), em 10 de novembro, para a 14.ª jornada da Liga. O pupilo do técnico português Luís Castro pontapeou a bola na direção dos adeptos adversários, reagiu com gestos obscenos aos insultos racistas e abandonou o relvado em lágrimas. O Dínamo Kiev foi sancionado com um jogo à porta fechada e quase 19.000 euros de multa.

-- 13 de novembro de 2019: O avançado Bernardo Silva foi suspenso por um jogo, após ter sido considerado culpado de conduta imprópria e ofensiva num ‘tweet’ sobre o francês Benjamin Mendy, colega de equipa no Manchester City. A Federação inglesa de futebol determinou ainda uma multa de 50.000 libras (60.213 euros ao câmbio de hoje) e trabalho comunitário obrigatório junto da comunidade infantil, tendo o extremo falhado o triunfo caseiro sobre o Chelsea (2-1), dez dias depois, da 13.ª do campeonato.

-- 03 de novembro de 2019: O avançado italiano Mario Balotelli ameaçou abandonar o relvado durante a derrota do Brescia com o Hellas Verona (2-1), para a 11.ª jornada do campeonato, depois de ter sido alvo de insultos racistas dos adeptos ‘gialloblu’.

-- 29 de outubro de 2019: A Bulgária foi punida com dois jogos à porta fechada, um dos quais com pena suspensa, e uma multa de 85.000 euros pelo Comité Disciplinar da UEFA, tendo por base cânticos racistas e saudações nazis na goleada sofrida em casa com a Inglaterra (6-0), em 14 de outubro, na qualificação para o Euro2020.

-- 21 de outubro de 2019: A Sérvia foi condenada a disputar um jogo à porta fechada e a liquidar uma multa de 33.250 euros, ficando ainda sujeita a um período de liberdade condicional de um ano pelo Comité Disciplinar da UEFA, por manifestações racistas na derrota caseira com Portugal (4-2), em 07 de setembro, na qualificação para o Euro2020.

-- 15 de outubro de 2019: A avançada norte-americana Shade Pratt revelou ter sido vítima de racismo na goleada imposta pelo Sporting de Braga no terreno do Cadima (7-0), em 13 de outubro, para a terceira jornada da I Liga de futebol feminino, tendo os minhotos efetuado uma participação disciplinar à Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

-- 09 de outubro de 2019: A Atalanta foi multada em 10.000 euros pelo órgão disciplinar da Liga italiana por cânticos racistas dos adeptos dirigidos ao defesa brasileiro Dalbert Henrique, que interromperam por três minutos o empate com a Fiorentina (2-2), em 22 de setembro, da quarta jornada.

-- 27 de setembro de 2019: Um setor do estádio do Brescia foi encerrado por um jogo pelo Conselho de Disciplina da Liga italiana, por cânticos racistas dirigidos três dias antes ao médio bósnio Miralem Pjanic, na derrota com a Juventus (2-1), da quinta jornada.

-- 23 de setembro de 2019: Roménia, Hungria e Eslováquia foram castigados com um jogo à porta fechada pelo Comité Disciplinar da UEFA, devido a comportamentos racistas dos adeptos, materializados em cânticos e tarjas ofensivas durante a qualificação para o Euro2020. Os romenos foram multados em 83.000 euros, os húngaros tiveram de desembolsar 67.125 e os eslovacos pagaram 20.000 euros.

-- 18 de setembro de 2019: O Cagliari foi absolvido pela Federação Italiana de Futebol dos sons de macaco dirigidos ao belga Romelu Lukaku em 01 de setembro, quando o avançado do Inter de Milão se preparava para marcar uma grande penalidade, que viria a oferecer a vitória à formação ‘nerazzurri’ (2-1). Dois dias depois, os próprios ultras milaneses defenderam os adeptos do Cagliari em carta aberta, defendendo que o racismo não é um problema real em Itália e os cânticos funcionam como mera forma de apoio.

-- 16 de setembro de 2019: O jornalista italiano Luciano Passirani, do canal TopCalcio24, foi despedido depois de um comentário em tons racistas sobre o belga Romelu Lukaku, após ter referido que o avançado do Inter de Milão só seria travado em campo se lhe dessem “10 bananas para comer”.

-- 30 de agosto de 2019: Pelo menos 3.000 lugares do estádio do Glasgow Rangers foram interditados por um jogo pelo Comité Disciplinar da UEFA, como consequência do comportamento racista dos adeptos do clube escocês de tradição protestante, que entoaram cânticos anticatólicos no nulo com os polacos do Légia de Varsóvia, da primeira mão dos ‘play-offs’ de acesso à fase de grupos da Liga Europa.

-- 08 de agosto de 2019: O guarda-redes ucraniano Kostiantyn Makhnovskyi, dos letães do Ventspils, foi suspenso por 10 jogos pelo Comité Disciplinar da UEFA devido a conduta racista com o avançado senegalês Samb Amadou, no empate a duas bolas frente ao Gzira United, de Malta, em 01 de agosto, das pré-eliminatórias da Liga Europa.

-- 25 de abril de 2019: O AC Milan denunciou a ocorrência de episódios racistas que visaram o francês Tiémoué Bakayoko e o costa-marfinense Franck Kessié no desaire caseiro com a Lazio (1-0), em 24 de abril, para as meias-finais da Taça de Itália. Na zona onde estavam os adeptos do emblema romano foram ouvidos gritos imitando macacos, sendo que antes do encontro cerca de 20 entusiastas depositaram uma bandeira em homenagem ao ditador Benito Mussolini na Praça de Loreto, em Milão.

-- 18 de abril de 2019: As jogadoras do A-dos-Francos Maria Malta e Catarina Lopes foram suspensas por 30 dias pelo Conselho de Disciplina da FPF, devido a insultos racistas dirigidos à brasileira Milena Bispo, do Boavista, no embate da 19.ª jornada da I Liga de futebol feminino, em 13 de abril, que terminou com a vitória ‘axadrezada’ (3-2).

-- 01 de abril de 2019: Os croatas do Dínamo Zagreb foram sancionados com dois jogos à porta fechada, ambos suspensos por dois anos, uma multa de 20.000 euros por comportamento racista dos adeptos e uma coima de 47.000 euros por lançamento de objetos, bloqueio de escadas e utilização de material pirotécnico na receção vitoriosa ao Benfica (1-0), em 07 de março, para os oitavos de final da Liga Europa.

-- 28 de março de 2019: A Lazio e o Shakhtar Donetsk viram parte dos respetivos estádios interditados pelo Comité Disciplinar da UEFA nos jogos das provas continentais durante a temporada 2019/20, por causa das atitudes racistas dos adeptos em encontros da Liga Europa. Em 14 de fevereiro, os fãs ucranianos exibiram uma tarja com mensagens de extrema direita no empate com os alemães do Eintracht Frankfurt (2-2). Uma semana depois, igualmente para os 16 avos de final, alguns italianos fizeram saudações nazis na derrota frente aos espanhóis do Sevilha (2-0).

-- 05 de março de 2019: A justiça sueca condenou ao pagamento de 10.500 coroas suecas (cerca de 997 euros) um jovem que insultou nas redes sociais o médio Jimmy Durmaz, que representava a seleção do país no Mundial2018. No jogo da fase de grupos diante da Alemanha, em 23 de junho, o jogador de origens turcas cometeu uma falta em tempo de compensação, transformada no livre que ditou o golo da vitória germânica (2-1).

-- 30 de dezembro de 2018: O Vitória de Guimarães anunciou uma exposição à FPF, alegando que a equipa sub-15 e familiares dos jogadores foram vítimas de racismo e de agressões na goleada imposta no recinto do Boavista (4-1), da quinta jornada da segunda fase do campeonato nacional, caso desmentido pelos ‘axadrezados’.

-- 27 de dezembro de 2018: O Inter de Milão foi punido com dois jogos à porta fechada pelo órgão disciplinar da Liga italiana, um dia após Kalidou Koulibaly ter sido alvo de cânticos racistas na derrota consentida pelo Nápoles (1-0), da 18.ª jornada do campeonato. O defesa senegalês recebeu ordem de expulsão aos 81 minutos, com dois cartões amarelos seguidos, o segundo por ter aplaudido com ironia a decisão do árbitro, suspensão que o organismo decidiu manter.

-- 18 de dezembro de 2018: Um adepto do Tottenham foi impedido por um tribunal inglês de frequentar estádios durante quatro anos e recebeu 700 euros em coimas e despesas judiciais, depois de ter atirado uma casca de banana ao jogador do Arsenal Pierre-Emerick Aubameyang em 02 de dezembro, quando o avançado gabonês comemorava um dos golos da vitória dos ‘gunners’ (4-2) diante do setor reservado aos entusiastas dos ‘spurs’, para a 14.ª jornada do campeonato.

-- 27 de agosto de 2018: O Olympique Lyon foi sancionado com dois jogos à porta fechada, um dos quais suspenso por um período probatório de dois anos, e 100.000 euros de multa por práticas racistas e outros incidentes na derrota caseira com os russos do CSKA Moscovo (3-2), em 15 de março, que ditou o afastamento da Liga Europa.

-- 12 de fevereiro de 2018: O defesa costa-marfinense Konan, do Vitória de Guimarães, lamentou nas redes sociais ter recebido mensagens com insultos racistas nas horas subsequentes à derrota com o Boavista (1-0), para a 22.ª jornada da I Liga.

-- 20 de dezembro de 2017: Um homem recebeu uma pena de prisão de 16 semanas por proferir insultos racistas ao avançado inglês Raheem Sterling fora do centro de treinos do Manchester City em 16 de dezembro, horas antes do triunfo dos ‘citizens’ sobre o Tottenham (4-1), da 18.ª jornada do campeonato.

-- 29 de novembro de 2017: O Sporting de Braga foi punido com um jogo à porta fechada e condenado ao pagamento de uma multa de 22.950 euros devido ao comportamento racista dos adeptos no triunfo forasteiro sobre o Desportivo das Aves (2-0), em 20 de agosto, para a terceira jornada da I Liga. O presidente António Salvador classificou a decisão do Conselho de Disciplina da FPF como “uma afronta” ao clube minhoto, que recorreu e foi ilibado em janeiro de 2018.

-- 03 de outubro de 2017: Um setor do estádio da Lazio foi encerrado por dois jogos pelo Conselho de Disciplina da Liga italiana, por cânticos racistas dirigidos dois dias antes aos ítalo-ganeses Claud Adjapong e Alfred Duncan, no triunfo sobre o Sassuolo (6-1).

-- 07 de agosto de 2017: Os sérvios do Partizan receberam três jogos de castigo, um dos quais com pena suspensa, e uma multa de 130.000 euros do Comité Disciplinar da UEFA, devido a atos de racismo provocados pelos adeptos nas pré-eliminatórias da Liga dos Campeões com os montenegrinos do Buducnost e os gregos do Olympiacos.

-- 27 de março de 2017: O Rio Ave foi multado pelo Conselho de Disciplina da FPF em 536 euros devido aos cânticos de cariz racista contra o médio Renato Sanches, na derrota caseira com o Benfica (1-0), em abril de 2016, da 31.ª jornada da I Liga.

-- 15 de março de 2016: O Leixões foi punido com dois jogos à porta fechada e multado em 16.421 euros pelo Conselho de Disciplina da FPF, devido às manifestações racistas dos adeptos na visita ao Desportivo das Aves (0-1), em 11 de outubro de 2015, e nas receções ao Farense (1-1) e Oriental (3-3), em 14 de novembro e 09 de dezembro, respetivamente. Os matosinhenses interpuseram recurso, mas o Conselho de Justiça manteve o castigo decretado pelo órgão disciplinar federativo nas três partidas da II Liga.

-- 02 de dezembro de 2014: Os polacos do Légia de Varsóvia receberam dois jogos à porta fechada e uma coima de 105.000 euros pelo Comité Disciplinar da UEFA, justificados pela conduta racista dos adeptos, sendo obrigados a indemnizar os belgas do Lokeren por danos no estádio, onde perderam em 27 de novembro (1-0), na Liga Europa.

-- 03 de setembro de 2014: O Grêmio de Porto Alegre foi excluído da Taça do Brasil pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, devido a insultos racistas proferidos pelos adeptos contra o guarda-redes Aranha, no desaire frente ao Santos (2-0), em 28 de agosto. Numa decisão inédita no futebol ‘canarinho’, a formação do estado do Rio Grande do Sul foi sancionada em 50.000 reais (quase 11.000 euros) e os adeptos em causa foram proibidos de entrar em estádios durante 720 dias, tendo a equipa de arbitragem sido também multada e suspensa por não ter descrito o sucedido no relatório.

-- 05 de agosto de 2014: Os romenos do Steaua de Bucareste, os eslovenos do Maribor, os húngaros do Debrecen e os georgianos do Chikhura Sachkhere foram punidos pelo Comité Disciplinar da UEFA com um jogo de interdição parcial dos respetivos estádios por comportamentos racistas em encontros preliminares das provas europeias.

-- 30 de maio de 2014: Dois setores do estádio do Real Madrid foram encerrados pelo Comité Disciplinar da UEFA, dando provimento às acusações de comportamento racista dos adeptos espanhóis na vitória sobre os alemães do Bayern de Munique (1-0), em 23 de abril, na primeira mão das meias-finais da Liga dos Campeões.

-- 07 de maio de 2014: O Villarreal foi condenado a 12.000 euros de multa pelo órgão de disciplina da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), punindo um gesto racista em 27 de abril, quando o defesa brasileiro Dani Alves deu uma trinca numa banana que lhe foi atirada por adeptos rivais, durante a marcação de um canto na vitória do FC Barcelona (3-2), para a 35.ª jornada do campeonato.

-- 24 de março de 2014: Um setor do estádio do Bayern de Munique foi encerrado pelo Comité Disciplinar da UEFA, que aplicou uma coima de 10.000 euros ao clube alemão, após a exibição de uma tarja relacionada com o Kosovo e uma outra com a inscrição “Gay Gunners”, acompanhada por uma imagem ofensiva com um canhão, na qual parece estar o germânico Mesut Ozil, em 11 de março, no empate com os ingleses do Arsenal (1-1), para os oitavos de final da Liga dos Campeões.

-- 05 de abril de 2013: O Leixões foi obrigado a receber o Desportivo das Aves à porta fechada, na 35.ª jornada da II Liga, depois de ter sido condenado por comportamento racista dos adeptos pelo Conselho de Justiça da FPF, com base nos incidentes ocorridos na receção ao Belenenses (1-1), da 11.ª ronda, em 27 de outubro de 2012. A decisão foi suspensa com uma providência cautelar interposta pelos matosinhenses e aceite pelo Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa.

-- 24 de março de 2013: O avançado ganês Kevin-Prince Boateng abandonou o relvado aos 26 minutos do jogo particular entre o AC Milan e o Pro Patria, após ter recebido insultos racistas vindos das bancadas adversárias, recebendo a solidariedade dos seis companheiros, que se recusaram também a prosseguir o duelo.

-- 12 de junho de 2012: A Croácia foi multada em 80.000 euros pelo Comité Disciplinar da UEFA devido aos insultos racistas ao jogador italiano Mário Balotelli, durante o embate entre as duas seleções (1-1), da fase de grupos do Euro2012.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.