O caso Rubiales continua a dar que falar e a entrada em cena do governo espanhol parece ter criado uma guerra definitiva com a RFEF. De tal modo que a rádio Onda Cero noticiou que o secretário geral da Federação, Andreu Camps, avançou com uma participação junto da UEFA a acusar o governo de intervir na gestão do próprio organismo.

As consequências podem ser devastadoras para o futebol espanhol porque o regulamento da UEFA é claro: Se houver uma intromissão do governo que coloque em causa a independência de uma federação, isto pode resultar na exclusão das equipas e da seleção das provas europeias.

Entre os críticos no governo espanhol tiveram o vice-presidente, Yolanda Díaz, o ministro do Desporto, Miquel Iceta, e o presidente do Conselho Superior do Desporto, Víctor Francos.

O futebol espanhol está envolto em polémica desde 20 de agosto, quando, no final do jogo que sagrou a seleção feminina espanhola campeã do mundo de futebol, em Sydney, na altura da entrega dos prémios, Luis Rubiales beijou na boca Jenni Hermoso, enquanto festejavam.

Seguiram-se inúmeras críticas ao sucedido, tendo a jogadora afirmado que não tinha consentido o beijo, depois de numa primeira versão ter dito que tudo tinha acontecido num momento de maior euforia.

Veja aqui o vídeo do momento

Depois de vários dias com muitas críticas por diversos setores da sociedade, a RFEF realizou, na sexta-feira, uma Assembleia Geral Extraordinária, na qual era esperado o pedido de demissão de Rubiales.

No entanto Luis Rubiales não se demitiu, dando origem a um novo pico de contestação e extremar das posições, com as jogadoras da seleção a anunciarem não estarem disponíveis para voltar a representar Espanha, enquanto os atuais dirigentes da RFEF se mantiverem nos cargos.

No sábado, a FIFA anunciou a suspensão de Rubiales do cargo por 90 dias.

Na sexta-feira, o governo espanhol anunciou que iria denunciar Luis Rubiales ao Tribunal Administrativo do Desporto (TAD), com o objetivo de o suspender.

“Se o TAD iniciar o processo, eu, enquanto presidente do Conselho Superior do Desporto (CSD), tenho o direito de convocar o comité executivo do CSD para pedir a suspensão de Rubiales”, explicou o também secretário de Estado para o Desporto, Victor Francos, durante uma conferência de imprensa em Tarragona.

Victor Francos apelou a que o TAD se reúna “de forma extraordinária” já na segunda-feira.

Caso o tribunal considere que as infrações são “muito graves”, então o CSD convocará o seu comité executivo para dar início à suspensão de Rubiales.

A segunda vice-presidente de Espanha e ministra do Trabalho e Economia Social, Yolanda Diáz, vai reunir-se na segunda-feira com a presidente do sindicato maioritátio do futebol feminino (Futpro), Amanda Gutiérrez, com representantes da Associação de Futebolistas Espanhóis e com uma delegação da Liga de Futebol, Feminino.

O selecionador espanhol de futebol feminino, Jorge Vilda, lamentou no sábado o “comportamento impróprio” do presidente RFEF, após a conquista do Mundial2023, e assumiu que o dirigente ‘manchou’ a conquista histórica da ‘la roja’ (nome pelo qual é conhecida a seleção espanhola de futebol).

Entretanto, 11 membros da equipa técnica de Jorge Vilda, entre adjuntos, analistas e preparadores, apresentaram a demissão. Hoje, foi noticiado que a mãe de Rubiales fechou-se numa igreja em greve de fome contra "caça desumana e sangrenta" ao filho.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.