Manolo Gabbiadini é o último jogador de futebol a acusar positivo depois de um controle ao Covid-19. O futebolista internacional italiano , que joga na Sampdoria, está em isolamento, como informou o seu clube.

Num curto comunicado, o emblema de Génova explica que o avançado, de 28 anos, tem “febre mas está bem”, com a equipa a ativar igualmente “todos os procedimentos de isolamento requeridos por lei”.

"Também testei positivo ao coronavírus. Quero agradecer todas as mensagens que já recebi. Estou bem, por isso não se preocupem. Sigam as regras, fiquem em casa e tudo vai ficar bem", escreveu o atleta, na rede social Twitter.

A infeção de Gabbiadini segue-se à de Daniele Rugani, colega de equipa de Cristiano Ronaldo na Juventus, que ontem deu positivo a um teste de Covid-19.

“O futebolista Daniele Rugani deu positivo no teste para o coronavírus Covid-19 e está atualmente assintomático. A Juventus já começou a ativar todos os procedimentos de isolamento estabelecidos por lei, incluindo todas as pessoas que estiveram em contacto com ele”, pode ler-se no comunicado.

Antes destes dois jogadores da Serie A italiana, mais dois futebolistas tinham sido contaminados com o Covid-19.

O primeiro caso de um futebolista infetado deu-se também em Itália. No dia 27 de fevereiro, King Udog, jogador do Pianese, clube da Serie C italiana (terceira divisão) foi dado como sendo portador do vírus Covid-19. Assim que se soube da situação, o clube decidiu cancelar os treinos. Diz a 'Gazzetta dello Sport' que o atleta ficou em quarentena em casa e que já não apresentava estado febril.

No dia 11 de março deu-se o primeiro caso fora de Itália. Timo Hubers, jogador de 23 anos do Hannover, ALemanha, testou positivo para o coronavírus. O clube sublinhou que o jogador não teve contacto com os jogadores nesse dia.

"O Timo comportou-se de maneira absolutamente exemplar. Não demonstrou nenhum sintoma até agora. Quando descobriu que uma pessoa que estava com ele num evento tinha testado positivo, relatou diretamente ao médico e ficou temporariamente em quarentena em casa", sublinhou Gerhard Zuber, diretor do Hannover.

O Governo italiano decidiu, na segunda-feira, suspender de forma temporária o campeonato italiano de futebol, devido ao avanço significativo do Covid-19 em Itália, o segundo país do mundo mais afetado pela pandemia, a seguir à China.

A decisão governamental, com efeitos imediatos, vai afetar, durante várias semanas, o campeonato italiano, que é liderado pela Juventus.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a doença Covid-19 como pandemia, justificando a declaração com "níveis alarmantes de propagação e inação".

A pandemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.500 mortos em todo o mundo.

O número de infetados ultrapassou as 124 mil pessoas, com casos registados em 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 78 casos confirmados.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 12.000 infetados e pelo menos 827 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

Veja neste mapa (alguns) dos eventos já afetados pelo Covid-19

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.