Os internacionais portugueses João Mário e Éder e os restantes companheiros e equipa técnica do Lokomotiv Moscovo entraram em isolamento voluntário em Bakovka, devido ao aumento de casos de COVID-19 na liga russa de futebol.

“Os jogadores e os treinadores mudaram-se para o centro de estágios do clube de Bakvoka, onde se manterão num regime de isolamento”, informou hoje o clube, justificando a medida com o aumento do número de casos e a fase decisiva na disputa do campeonato.

Na frente da classificação está o Zenit São Petersburgo, com 53 pontos, mais nove do que o Lokomotiv, que tem 44, nas duas posições de acesso direito à Liga dos Campeões em 2020/21, enquanto que na terceira posição está o Krasnodar, com 41.

“Dada a situação com o novo coronavírus não podemos correr riscos”, defendeu o habitual titular e capitão da equipa moscovita, o guarda-redes internacional russo Guilherme Marinato, de origem brasileira.

O próprio Lokomotiv chegou a ter casos de jogadores infetados, mas outras equipas também tiveram problemas, casos do Ural, do Dínamo Moscovo, e, no último caso, do Rostov, que recorreu aos juniores e perdeu o último jogo por 10-1.

Os responsáveis da liga russa decidiram que, a partir de agora, um caso positivo obrigará à quarentena de toda a equipa e não apenas da pessoa infetada.

A Rússia, que contabiliza 8.503 mortos, é o terceiro país do mundo em número de infetados, depois dos Estados Unidos e do Brasil, com mais de 606 mil casos confirmados.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 477 mil mortos, incluindo 1.543 em Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.