Cherno Samba ficou famoso por ser uma das grandes estrelas do Championship Manager [antigo videojogo de contratação e gestão de jogadores]. Sucesso que, segundo afirma o ex-jogador, acabaria por se tornar num fardo.

“O Championship Manager ficará comigo para o resto da vida. Sinto-me honrado que as pessoas ainda falem comigo sobre o videojogo. Fui, provavelmente, o mais jovem famoso internacional da Inglaterra na época 2001/02. Na altura, precisava de alguém para me acompanhar, era um caso maior do que todos os outros jogadores da minha faixa etária. Quando falhou uma possível transferência para o Liverpool e Arsenal chorei de tristeza no chão da cozinha. Fiquei sem apetite. Quando fui para Espanha [para jogar no Cádiz] em 2004, senti que tinha falhado antes no meu próprio país. Foi quando a depressão tomou conta de mim. Eu não queria mais estar aqui. Eu queria acabar com tudo", confessa o jogador de futebol na revista 'FourFourTwo'.

"Sou 100% jogador de futebol de rua. Tudo começou aí. É na rua que se aprende futebol e onde podemos ser livres para fazer o que quisermos. Na Gâmbia, eu jogava futebol sem parar, 24 horas por dia, sete dias por semana. Eu tinha seis anos e morava com os meus tios, porque os meus pais já se haviam mudado para o Reino Unido para se estabelecerem, antes que o resto da família fosse para lá”, disse Samba.

"Todos os dias, tinham que me arrastar para fora do campo. Pode ter sido apenas por alguns meses, mas os meus tios tiveram um papel importante na minha infância, ao cuidar de mim enquanto os meus pais estavam ausentes".

Desde cedo, Samba viu coisas estranhas no futebol: "Senti que me tratavam como mercadoria. Fui patrocinado pela Nike, então os meus companheiros queriam que eu fosse à Nike Town e comprasse o que eles quisessem. Os agentes eram piores: lembro-me que um deles ofereceu 50 mil libras aos meus pais apenas para cuidar de mim”.

"Eu estava no Millwall e minha reputação começou a crescer em Londres. Depois de um treino, um rapaz aproximou-se de mim e disse: 'Ei Cherno: já ouviste falar do jogo de computador Championship Manager? És um 'craque' absoluto! Compra e saberás o que quero dizer'. E era verdade. As minhas estatísticas eram inacreditáveis no videojogo".

"Cheguei a um ponto em que, mesmo quando estava a jogar na equipa juvenil do Millwall contra o Chelsea, o Arsenal ou outros, tentava copiar minhas estatísticas no jogo. Na minha cabeça, eu pensava: 'O jogo diz que sou rápido, então preciso ser mais rápido'. Houve muitas brincadeiras e os meus adversários diziam: 'Sei que és bom no jogo, mas não estás a fazer isso hoje'", recordou.

Samba acabou por passar por momentos delicados, tendo pensado inclusive em suicídio. Um relato que se pode ler no livro que o próprio lançou em 2018.

O livro de Cherno Samba
O livro de Cherno Samba

“Fiquei desesperado. Um dia tomei uma overdose para tentar acabar com minha vida. Não queria mais ficar aqui. Foi horrível”.

Cherno Samba jogou no Millwall, Cádiz, Málaga, Plymouth Argyle, Wrexham, FC Haka, Panetolikos e FK Tonsberg, tendo sido internacional inglês nas camadas jovens. Porém, nunca chegou a ser como a sua personagem virtual no Championship Manager.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.