No Estádio José Alvalade, a partir das 20:15, o Sporting tenta fazer as pazes com o seu público, que ali assistiu, no sábado, à derrota com a Académica (2-1), a terceira consecutiva, depois dos desaires com o Sp. Braga (2-1), também no campeonato, e com o FC Porto (5-2), nas meias-finais da Taça de Portugal.

A 19 pontos da liderança na Liga e eliminado da Taça de Portugal, o Sporting, que perdeu as duas finais da competição, surge muito pressionado neste encontro, para o qual o treinador Carlos Carvalhal convocou todos os jogadores do plantel.

O Benfica vem igualmente de um resultado menos positivo, um empate no terreno do Vitória de Setúbal (1-1), com uma grande penalidade falhada no período de descontos, mas apesar de tudo vai surgir em Alvalade bastante mais motivada, depois de esta época já ter empatado no reduto do ‘leão’ na 11.ª jornada da Liga (0-0).

Da final do ano passado, ficou na memória o contestado penálti assinalado pelo árbitro setubalense Lucílio Baptista, a castigar inexistente mão na bola de Pedro Silva, permitindo ao Benfica estabelecer o empate 1-1 e forçar o prolongamento, onde venceu no desempate por pontapés da marca de grande penalidade.

Este ano, a polémica gira em torno da cedência de bilhetes, com o Benfica a acusar o presidente ‘leonino’, José Eduardo Bettencourt, de faltar à palavra, depois de ter prometido 30 por cento da lotação aos adeptos rivais, uma versão que o Sporting nega, afirmando que a hipótese foi levantada mas colocada de parte por questões de segurança.

Quarta-feira, na outra meia final, no Estádio do Dragão, o FC Porto reencontra a Académica (20:15), duas equipas que empataram a zero na fase de grupos, no Estádio Cidade de Coimbra, sendo que na Liga portuguesa os "dragões" venceram em casa por 3-2.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.