A morte de Diego Maradona é “uma grande perda para o mundo em geral e para o mundo do futebol”, destacou hoje o antigo internacional francês, Zinédine Zidane, “profundamente emocionado” pelo desaparecimento do ídolo argentino aos 60 anos.

“Gravei na minha memória o seu Campeonato do Mundo de 1986. Comove-nos profundamente, sentimos muito [a sua morte], principalmente pela família dele. Não tenho palavras. Estamos muito tristes com esta notícia”, destacou o campeão do mundo pela França em 1998, em declarações ao canal televisivo Movistar+, citado pela agência AFP.

O atual treinador do Real Madrid falava após o triunfo por 2-0 na deslocação ao terreno do Inter de Milão em partida da Liga dos Campeões.

Maradona, considerado um dos melhores futebolistas da história, morreu hoje na sua residência, na Argentina, aos 60 anos, anunciou o seu agente e amigo Matías Morla.

Segundo a imprensa argentina, Maradona, que treinava os argentinos do Gimnasia y Esgrima, sofreu uma paragem cardíaca na sua vivenda na província de Buenos Aires.

A sua carreira de futebolista, de 1976 a 2001, ficou marcada pela conquista, pela Argentina, do Mundial de 1986, no México, e os dois títulos italianos e a Taça UEFA ganhos ao serviço dos italianos do Nápoles.

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, decretou três dias de luto nacional pela morte de Maradona.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.