O presidente da Federação Sul-Coreana de Futebol (KFA), Chung Mong-gyu, doou cerca de três milhões de euros da sua fortuna pessoal para contratar um selecionador “estrangeiro competente” e o português Carlos Queiroz é hipótese, foi hoje anunciado.

"Ele [Chung Mong-gyu] expressou o desejo de que isso ajude a pagar o salário de um técnico estrangeiro competente”, confirmou à agência de notícias France-Presse um responsável da KFA.

De acordo com o mesmo dirigente, “a KFA entrou já em contacto com vários candidatos e estabeleceu os termos do contrato, mas demorará ainda algum tempo para nomear o sucessor” de Shin Tae-yong.

O lugar de selecionador sul-coreano encontra-se vago desde a saída de Shin Tae-yong, que não conseguiu evitar a eliminação na fase de grupos do Mundial2018, na Rússia, apesar do triunfo contra a então campeã em título Alemanha (2-0).

Os nomes de Zlatko Dalic, que liderou a Croácia na final do Mundial2018 – que perdeu para a campeã França (4-2) -, Carlos Queiroz (Irão) e Juan Carlos Osorio (México) são os que surgem como potenciais sucessores de Shin Tae-yong.

A verba doada por Chung Mong-gyu, herdeiro do grupo Hyundai, irá contribuir para dinamizar a seleção sul-coreana, que tem como próximo objetivo a participação na Taça Asiática, em janeiro de 2019, competição que não vence desde 1960.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.