Samir Nasri anunciou este domingo que vai colocar um ponto final na carreira de futebolista, aos 34 anos. O internacional francês estavam sem clube desde que deixou os belgas do Anderlecht em 2020.

"Houve um episódio que me magoou muito e mudou a minha relação com o futebol: a minha suspensão. Foi muito injusto, não tomei nenhum produto de doping. Foi só uma injeção de vitaminas porque estava doente", garante Nasri, em declarações ao JDD.

Recorde-se que Nasri foi suspenso por seis meses em fevereiro de 2018, devido a uma perfusão intravenosa de vitaminas, método proibido pela Agência Mundial Antidopagem. No entanto, a comissão de disciplina da UEFA recorreu desta sanção e o médio internacional francês acabou por ficar fora dos relvados 18 meses.

Na mesma entrevista, o francês recorda ainda a mudança para o Anderlecht, em 2019, e admite que, em França, só jogaria num clube.

"Havia um lado emocional, mas também a ideia de ser jogador e ter um papel na equipa. Como gostaria de treinar, disse a mim mesmo que aprenderia com o Kompany, mas as coisas não correram como o planeado. Em seguida, o campeonato foi interrompido por causa da COVID-19 e depois disso nenhum desafio me convenceu. E não me imaginava a voltar para França se não fosse para regressar ao Marselha", explicou.

Internacional pela seleção francesa em 41 ocasiões, Nasri passou por Marselha, Arsenal, Manchester City, Sevilha, Antalyaspor, West Ham e Anderlecht.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.