O Sindicato dos Jogadores acionou o Fundo de Garantia Salarial junto do plantel de futebol do Vilafranquense, cujos futebolistas não recebem salário há três meses, anunciou hoje a entidade liderada por Joaquim Evangelista.

"No último sábado, após reunião com o Sindicato dos Jogadores, o plantel fez um ultimato à administração da SAD para que, no prazo de dez dias, regularize os pagamentos em atraso. Não havendo regularização após esse período, estão em cima da mesa outros meios de reação", lê-se no 'site' do Sindicato dos Jogadores.

O acionamento do Fundo de Garantia Salarial permite aos jogadores do clube ribatejano "fazer face aos seus encargos mais urgentes, após o incumprimento da sua entidade patronal", sublinhou o sindicato.

Joaquim Evangelista, presidente da entidade, condenou "mais um caso grave no Campeonato de Portugal" e vincou que "este tipo de dirigismo não tem lugar no futebol português".

"O direito ao salário está constitucionalmente protegido, mas, infelizmente, continuamos a assistir a um desrespeito sistemático do mesmo no futebol português, em especial no âmbito das competições não profissionais. A administração da Vilafranquense SAD falhou com esta obrigação fundamental e tem vindo a quebrar, reiteradamente, as promessas feitas aos jogadores. Dirigentes como estes não podem ter lugar no futebol. O Fundo de Garantia Salarial apenas minimizou situações verdadeiramente dramáticas, ajudou famílias cuja subsistência está seriamente comprometida", acrescenteou.

Segundo o líder do sindicato, "atendendo ao volume de investimento em equipas que competem no Campeonato de Portugal e à falta de controlo que tem existido, o que coloca os clubes incumpridores numa posição de privilégio face aos demais, é preciso olhar para os mecanismos de fiscalização e controlo ao longo da época desportiva, e respetivo regime sancionatório, à semelhança do que acontece nas competições profissionais, assegurando que não existe impunidade para as SAD que violam, sistematicamente, os compromissos assumidos”.

“De outra forma, a integridade da competição está seriamente comprometida", considera.

O responsável deixou ainda palavras de elogio para o "profissionalismo e a dignidade com que estes atletas continuam a competir" e apelou para que a SAD do Vilafranquense "encontre soluções no prazo que lhe foi apresentado".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.