Um pouco nervoso, o Sporting entrou em jogo um pouco nervoso e os primeiros passos raramente acertaram no destino.

Mas durou pouco o desacerto verde e branco, com Marat Izmailov a dispor da primeira ocasião para celebrar em Alvalade.

Djaló recebeu na área de costas para a baliza e o russo na passada levou a bola e com um remate frouxo obrigou Tim Howard à primeira defesa da noite.

O lance não deu golo mas teve o condão de despertar a equipa de Carlos Carvalhal, que passou a ser mais dominante e a ter mais posse de bola.

Rápido mas nem sempre lúcido, o Sporting jogava mais perto da área inglesa e num desses lances Djaló arrancou uma falta a Senderos.

À entrada da grande área, o capitão Moutinho encarregou-se da marcação do livre e atirou com estrondo à barra. Na recarga Tonel não fez melhor do que atirar para a bancada. Era a melhor oportunidade do jogo.

O Sporting manteve a toada ofensiva e o Everton apostava precisamente no contrário, pouco preocupado em chegar à baliza de Rui Patrício já que o 0-0 dá o apuramento à equipa de David Moyes.

Mais uma oportunidade aos 30’ e de novo por Izmailov, que até pode estar de saída. O russo hesitou numa primeira fase do lance e quando rematou a bola acabou por embater em Phil Neville.

O Sporting dominou os primeiros 45’ mas precisa obrigatoriamente de marcar e para isso precisa de ser mais incisivo na hora de incomodar o norte-americano Tim Howard.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.