José Mourinho, que está sem clube desde dezembro de 2018, altura em que deixou o Manchester United, abordou os convites que recebeu nos últimos meses.

"Tenho a responsabilidade de ser José Mourinho até ao último dia. Recusei os mais variados convites para voltar, pois tenho de voltar para onde pertenço, para aquilo que foi sempre a minha vida, que é treinar ao mais alto nível, para ganhar", disse o treinador português, em entrevista ao canal 11.

"Preferia treinar uma equipa do Campeonato de Portugal para ser campeão e subir, do que treinar uma equipa da Liga para a manutenção. É uma coisa quase patológica, mas é uma dívida que tenho para, talvez, milhões de pessoas", acrescentou, deixando depois a sua análise sobre como vê o futebol.

"Hoje em dia, muito miúdo quer ser treinador de futebol. Na minha altura, sonhávamos em ser jogadores e chegar ao mais alto nível, mas agora é diferente. Mas também noto grandes diferenças para o futebol num passado recente e o que se vê hoje em dia. É a primeira vez que tenho estado mais tempo em casa e tenho notado logo uma coisa. Há uma exagerada complexidade em esconder as debilidades das equipas. Não há tanta evolução e procura do conhecimento", disse o técnico luso, completando: "Agora, tenho as minhas dúvidas de que nos próximos anos haja tanta evolução como nestes últimos anos."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.