Ben Lampert não é o treinador de futebol convencional. Em vez de gritar junto à linha, o treinador surdo atira as suas instruções em língua gestual.

O treinador do Brentford FC Community Sports, de 34 anos, está a provar-se uma inspiração tanto para crianças surdas como para crianças ouvintes e foi nomeado numa das categorias do UK Coaching Awards (Prémios dos treinadores do Reino Unido) que se realizam na próxima quinta-feira.

Lampert, um dos membros da equipa britânica que venceu o título de futebol dos Deaflympics (Surdolimpíadas) em 2005 na Austrália, quer treinar uma equipa profissional.

"O meu sonho é treinar ao mais alto nível do futebol, quer seja nas academias ou no clube", disse à agência AFP antes de realizar uma sessão de treino com um grupo de meninos de 10 anos.

Ben Lampert no treino
Ben Lampert no treino créditos: AFP or licensors

"Apenas para ser a personificação viva que estas barreiras podem ser quebradas e vencidas. A faixa etária não importa. Não sei se até aos 18 anos ou mais velhos. É uma questão de alcançar e tornar-me num exemplo para onde os surdos podem olhar e dizer 'O Ben conseguiu, porque não hei de conseguir?"

Lampert, pai de dois rapazes, disse que há uma percepção que é difícil para os surdos transmitir as suas mensagens mas ele acredita que isso não corresponde à realidade.

"Eles pensam que me é impossível faze-lo ou que qualquer pessoa surda o faça", disse, falando através de um interprete, que tambem o ajudou durante a sessão de treino no oeste de Londres.

"Sabe, eles pensam que é algo que não pode acontecer, mas é possível. Quando tenho a oportunidade de falar com essas pessoas, eles percebem isso. É uma questão de comunicação. No fim de contas, existem outras formas de comunicar, não existe só uma forma"

Lampert, que fez parte do percurso da tocha olímpica dos Jogos Olímpicos de 2012 em Londres, disse que comunicar em linguagem gestual é um desafio semelhante ao enfrentado por treinadores que não têm o inglês como língua nativa.

"Eles têm as competências e as competências necessárias para serem um treinador de topo. É apenas uma barreira linguistica", disse Lampert, nomeado na categoria 'Changing Lives' (Mudando vidas), "É a única coisa que atrapalha. Não há diferença para uma pessoa surda nesse aspeto".

Lampert, que também é treinador da equipa de futebol surda de Inglaterra, afirmou que a sua surdez não é um impedimento na forma de como vê o jogo, descrevendo-o como "algo muito visual".

"Como uma pessoa surda, é absolutamente perfeito para mim e pensar nas posições das pessoas no campo e nas táticas, onde colocar os jogadores"

Luta pela igualdade

Jamie Tompkins, diretor para o desenvolvimento do futebol no Brentford, que joga na segunda divisão inglesa, afirma que o sonho de Lampert de treinar profissionalmente é realista.

"Não há nenhuma razão para que não possa trabalhar no futebol 'mainstream', porque ele comunica com os jogadores da maneira certa", disse, "Ele ainda está a transmitir a sua mensagem para os apoiar no seu desenvolvimento e acabar por ajudar as equipas com as quais trabalha tambem".

Lampert acredita que o Reino Unido está atrasada em relação ao Estados Unidos no que toca à consciencialização para as questões da surdez.

Ele cita o caso do lateral-direito da NFL Derrick Coleman, que ultrapassou a sua surdez para vencer uma 'Super Bowl' com os Seattle Seahawks.

"Tiro o chapéu à América porque, tanto quanto sei, a sua consciência em relação a isso é notável. Na Inglaterra, penso que devíamos de ter o mesmo. Se isso pode ser feito no Super Bowl, então porque é que não o podemos fazer aqui? A consciencialização é a chave".

Ben Lampert no treino
Ben Lampert no treino créditos: AFP or licensors

Uma grupo de rapazes que estavam a treinar com Lampert pela primeira vez - um misto de mostrar como se faz com a bola ou através do seu interprete - dão-lhe uma positiva.

Kuba Zygmunt admitiu: "Eu nunca iria perceber a linguagem gestual, nem em 100 anos" mas acrescentou que há muito espaço para a relação se desenvolver.

"Como comunidade, é realmente impressionante", disse, "é realmente incrivel que possamos comunicar com este novo treinador e talvez aprender algo novo".

Lampert acredita que para ter sucesso é preciso ser positivo.

"É importante ser confiante e ser assertivo e lutar pela igualdade. Eu quero divulgar a mensagem que os surdos podem fazer tudo e eu sou um exemplo disso mesmo", disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.