Brasileirão, Taça Libertadores, final do Mundial de Clubes, Supertaça Sul Americana, Supertaça do Brasil, Campeonato Carioca. Foi este o legado que Jorge Jesus deixou antes do seu inesperado adeus ao Flamengo, em meados de julho, para voltar ao comando técnico do Benfica. Quem quer que lhe sucedesse não teria, nunca, tarefa fácil.

Como não teve Domènec Torrent, técnico espanhol que até aqui tinha feito carreira, sobretudo, como adjunto de Josep Guardiola no Barcelona, Bayern e Manchester City, e que acabou por ser o eleito para ocupar o lugar deixado vago com a saída do português. Aos dois primeiros jogos, nas duas primeiras jornadas do Brasileirão, no início da defesa do título, duas derrotas, zero golos marcados e quatro sofridos. Os alarmes soaram e as críticas começaram.

Nos primeiros cinco jogos, todos para o Brasileirão, apenas uma vitória e 5 pontos somados em 15 possíveis, com a equipa  no 16.º lugar, primeiro acima da linha de água. As saudades de Jesus apertavam.

Mas, aos poucos, a equipa começou a encontrar-se e Domènec Torrent começou a silenciar os críticos. Claro que houve ainda espaço para uma humilhação, no arranque da defesa da Taça Libertadores, com uma derrota por 5-0 na visita ao Independiente del Valle, mas até esse pesado desaire já terá sido esquecido, com os 'rubronegros' a redimirem-se e a terem já, na noite de quarta-feira, com um triunfo por 3-1 sobre o Junior Barranquilla, garantido a passagem à fase seguinte da prova como vencedores  do seu grupo.

Ex-Flamengo critica Jorge Jesus: "Eu trocar o Flamengo pelo Benfica? Jamais na vida"
Ex-Flamengo critica Jorge Jesus: "Eu trocar o Flamengo pelo Benfica? Jamais na vida"
Ver artigo

Efeticamente, o Flamengo está agora a vencer e a convencer, como fazia com Jesus. A intensidade que a equipa apresentava com o português está de volta e os adeptos estão novamente entusiasmados. E a equipa aguentou-se mesmo perante um surto de COVID-19 que a obrigou a entrar em campo nalguns jogos com muitos jovens. Não conhece o sabor da derrota há dez jogos (desde o tal copioso desaire ante os equatorianos do Independiente del Valle), marcando 26 golos e sofrendo apenas oito nesse período.

No Brasileirão, o Flamengo partilha já chegou ao topo, partilhando a liderança com o Internacional ao fim de 17 jornadas, com 34 pontos somados. Os dois da frente, curiosamente, vão medir forças na próxima jornada. Novamente nos oitavos de final da Taça Libertadores (cuja final desta edição será jogada no Maracanã) e com a possibilidade de se voltarem a isolar no topo do campeonato brasileiro, os adeptos do 'Fla' começam a acreditar que, mesmo sem Jesus, será possível replicar o memorável ano de 2019.

Domènec Torrent, porém, mantém-se tranquilo. "Agora o mais importante é o Inter, mas não vai acabar o campeonato. São três pontos importantes porque estamos empatados, mas não vai acabar o Brasileirão. Vamos tentar ganhar como sempre fazemos. Sei da importância do jogo. Estamos todos melhores depois de três meses aqui. Compreendemos melhor o Brasileirão e o plantel compreendeu melhor o que fazer no campo". Afinal, o Flamengo, mesmo sem Jesus, parece pronto para continuar a ganhar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.