Os procuradores que revistaram hoje a sede da Lamia detiveram o diretor geral da companhia aérea boliviana e confiscaram documentos e computadores, no âmbito da investigação sobre a responsabilidade da empresa no acidente que causou 71 mortos.

De acordo com a agência Efe, que cita um colaborador local, os procuradores bolivianos detiveram Gustavo Vargas Gamboa nos escritórios da Lamia e conduziram-no à Procuradoria Departamental de Santa Cruz.

Vargas Gamboa é um ex-militar da Força Aérea Boliviana que, entre 2001 e 2007, foi piloto de vários presidentes da Bolívia, incluindo o atual, Evo Morales.

A 29 de novembro, a queda do avião da companhia Lamia na Colômbia causou a morte a 71 das 77 pessoas que seguiam a bordo, incluindo a maioria dos jogadores da Chapecoense, dirigentes e jornalistas que acompanhavam a equipa brasileira, que se preparava para disputar a primeira mão da final da Taça Sul-americana com os colombianos do Atlético Nacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.