Por mais que o clássico Flamengo-Fluminense seja o mais charmoso do futebol carioca e haja uma empolgante rivalidade entre Flamengo e Botafogo, talvez nenhum seja mais eletrizante que o Clássico dos Milhões, como fora alcunhado nos anos 1970 os embates entre Flamengo e Vasco da Gama, que facilmente atraíam multidões ao mítico estádio Maracanã, e que muito raramente faziam jogos para menos de inacreditáveis 150 mil adeptos presentes ao estádio. Eram tempos de Zico e Roberto ‘Dinamite’, de grandes esquadrões do futebol brasileiro, e de outro futebol o praticado no Brasil, que ainda encantava o mundo da bola. Os tempos são outros, mas o jogo entre as duas equipas sempre é um espetáculo à parte.

E no encontro antecipado da 34.ª jornada do Brasileirão, pois daqui dois finais de semana o Flamengo joga a final da Taça Libertadores diante do River Plate, o jogo foi completamente louco, acredito ser este o melhor adjetivo para definir o eletrizante empate com oito golos, reviravoltas, e ânimos sempre a flor da pele ao final do encontro. O Flamengo, a fazer contas para conquistar o título com antecedência, contra um Vasco que ainda nutre chances de alcançar um lugar na zona de classificação para a próxima Libertadores. Jorge Jesus, como de hábito, começou com sua força quase máxima, apenas a poupar o médio uruguaio Arrascaeta, que recupera-se de uma lesão no joelho. E logo aos 39 segundos de jogo, o prodígio Reinier, a jogar precisamente na vaga de Arrascaeta, avançou pela esquerda e passou para Gabriel, que não conseguiu o domínio, mas a bola sobrou para Éverton Ribeiro, que fez o gosto ao pé, Flamengo 1 a 0. Com um começo de jogo a mil, tanto Flamengo quanto Vasco buscavam incessantemente o ataque e criaram boas chances. Gabriel, em noite menos inspirada, viu seus remates saírem ao lado, enquanto o Vasco apostava em jogadas aéreas. Aos 34’, em mais uma bola levantada na área rubro-negra, desta vez com mais eficácia, Raul ajeitou de cabeça para o jovem avançado Marrony rematar com força, sem chances para Diego Alves, Vasco 1 a 1. Pouco depois, Yago ‘Pikachu’, o ousado lateral do Vasco, fez bela jogada individual e sofreu penálti após falta do central Rodrigo Caio. Penálty que o mesmo Pikachu cobrou e converteu, na primeira reviravolta do marcador, Vasco 2 a 1. Sempre em ritmo frenético, no último lance da primeira parte, o lateral Rafinha recebeu passe de Gabriel pela direta e fez um centro rasteiro, com a bola a desviar no lateral vascaíno Danilo Barcelos, um autogolo que valeu o segundo golo do Flamengo, 2 a 2 ao intervalo.

Para a segunda parte, esperava-se que as equipas começassem mais cadenciadas, porém, o ritmo foi ainda mais alto. Aos 52’, o extremo Rossi avançou livre pela direita e lançou Marcos Júnior, igualmente livre de marcação na área rubro-negra, que fez o golo da nova reviravolta, Vasco 3 a 2. Euforia de uma ampla minoria de adeptos do Vasco, perante aos quase 50 mil rubro-negros presentes ao Maracanã.

Aí, um personagem passou a ser o fiel da balança para o Flamengo no jogo, o extremo Bruno Henrique, talvez o melhor jogador a atuar neste Brasileirão’2019. Aos 65’, ele arrancou da defesa, tabelou com Arrascaeta, lançado por Jesus na segunda parte, e rematou com força perante uma atónita defesa vascaína, Flamengo 3 a 3.  Aos 70’, nova chance clara de golo para o Flamengo, mas o remate final de Bruno Henrique foi desviado por Danilo Barcelos. Porém, dez minutos depois, Vitinho, outra aposta de JJ para a segunda parte, fez um belo drible pela direita e um centro à medida para Gabriel, que tocou de cabeça, com a bola a sobrar mais uma vez para Bruno Henrique, que fuzilou a baliza de Fernando Miguel com um forte remate de primeira, Flamengo 4 a 3. Seria o golpe de misericórdia do virtual campeão brasileiro, porém, este não era um jogo qualquer, e aos 93, após a defesa do Vasco lançar a bola para a área adversária, o central Henríquez cabeceou e Ribamar aproveitou a sobra, no derradeiro golo do jogo de loucos, que terminou empatado em 4 a 4. Ufa! A registar uma série de discussões entre jogadores das duas equipas após o apito final.

Com a vitória a escapar dos dedos, o Flamengo chegou aos 78 pontos e abriu 11 de vantagem para o Palmeiras, isto com um jogo a mais. Já o Vasco vê-se no meio da tabela, em décimo, e com remotas chances de terminar entre os seis primeiros. Já no fim de semana, mais bola a rolar pelo Brasileirão, com o Flamengo a viajar até Porto Alegre, para um duro confronto com o Grêmio, enquanto o Vasco recebe o Goiás. Já o Palmeiras, vice-líder e que não depende mais apenas de si para vencer o campeonato, viaja até o nordeste para enfrentar o Bahia, em Salvador. Ainda há campeonato, ao menos até o Flamengo de Jesus confirmar o que parece certo, o título da equipa carioca após dez anos da última conquista nacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.