A FIFA anunciou esta sexta-feira que o seu presidente, Gianni Infantino, estará presente no funeral dos elementos da equipa brasileira de futebol da Chapecoens que perderam a vida no avião que se despenhou na Colômbia, na segunda-feira.

No site da FIFA, o presidente ítalo-suíço descreveu o acidente de viação como um "dia muito, muito triste para o futebol" e estará presente no funeral coletivo na Arena Condá, em Chapecó, "juntamente com outras figuras notáveis, incluindo o treinador da seleção brasileira, Tite".

Infantino deveria estar presente na segunda-feira em Sydney, para assistir ao jogo da Correia do Norte frente a França no sábado para o Mundial de futebol feminino sub-20 em Papua-Nova Guiné.

O concelho da FIFA pediu para que fosse feito um minuto de silêncio no início de "todos os jogos deste fim de semana" e que os jogadores de todo o mundo estão convidados a usar uma braçadeira negra em homenagem às vítimas do acidente.

A Chapecoense ia disputar a primeira mão da final da Taça Sul-americana com os colombianos do Atlético Nacional, em Medellín, mas na segunda-feira (madrugada terça-feira em Lisboa), o avião em que seguiam despenhou-se em Cerro Gordo, na Colômbia, provocando a morte a 71 das 77 pessoas que seguiam bordo.

Entre as 71 vítimas mortais, estão 19 dos 22 jogadores da Chapecoense que viajaram para a Colômbia. Os sobreviventes são três jogadores, dois tripulantes e um jornalista.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.