Vanderlei Luxemburgo não ganhou para o susto na passada quinta-feira quando regressava de mais um treino do Flamengo. O treinador brasileiro foi vítima de assalto à mão armada, quando voltava do campo de treinos do "Mengão", e ficou sem um relógio.

Em declarações à imprensa brasileira, o treinador do Flamengo desvalorizou o sucedido e admitiu que não apresentou queixa na polícia.

"Já fui (assaltado) pela Receita, por bandido, isso é Brasil. Você leva um susto, o cara mete revólver na sua cara. É duro. Estava parado no sinal e o cara botou a arma. Disse que não ia atirar. Ainda bem que não. (Não foi o relógio do Fla) Se fosse, eu dava uma cabeçada nele. Não sei se ele me reconheceu. Entreguei o relógio e ele foi embora. Não fui na delegacia, nem nada. Levou, levou. Mas tenho medo desses assaltos. No susto o cara pode atirar", afirmou o técnico em conferência de imprensa.

De acordo com a imprensa brasileira, Vanderlei Luxemburgo foi abordado por dois homens numa moto na ponte Lúcio Costa, que dá acesso da Avenida das Américas para a praia da Barra, no começo da noite. Entretanto, Luxemburgo já comandou o último treino do Flamengo para a partida deste sábado, contra o Grêmio, no Maracanã.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.