O futuro de Haaland tem estado em discussão e o jogador admitiu que se sentia pressionado, mas o Borussia Dortmund garantiu que não tinha feito nenhum ultimato. Em entrevista à ESPN, Haaland voltou a falar do assunto.

"Não quero, realmente, falar muito sobre isso, mas senti que era altura de eu dizer alguma coisa. Muitas outras pessoas estavam a falar, e foi isso. Não quero falar muito isso. Disse o que disse, e, agora, é altura de seguir em frente", explicou o internacional norueguês.

Recorde-se que, em causa, estão declarações à estação Viaplay. "O clube começou a pressionar-me para tomar uma decisão tendo em vista a próxima temporada, mas eu só quero jogar futebol. Isto significa que terei de decidir em breve", referiu Haaland.

Pouco depois, Hans-Joachim Watzke, diretor geral do clube, reagiu. "É uma parvoíce dizer que o Dortmund deu um ultimato a Haaland. Não temos prazo", garantiu.

Segundo a imprensa nacional, o Real Madrid e o Manchester City estão em vantagem para contratar o norueguês, mas Paris Saint-Germain, Chelsea, Barcelona e Bayern de Munique também estarão na luta.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.