Várias peculiaridades marcaram o regresso da Bundesliga depois de uma paragem de mais de dois meses devido à COVID-19: a desinfeção das bolas de jogo, a proibição dos apertos de mão e o uso de 'adeptos de cartão' são algumas delas, mas um fator atingiu todos por igual, do topo ao fundo da tabela - o fim da vantagem caseira.

Os 37 jogos realizados desde a retoma, a 16 de maio, 22 foram ganhos pelas equipas visitantes, com os emblemas germânicos a sentirem a falta dos cânticos na sua próprias bancadas nos jogos realizados à porta fechada.

O segundo classificado Borussia Dortmund perdeu terreno para o líder Bayern Munique no final do último mês quando os bávaros venceram por 1-0 num Signal Iduna Park praticamente vazio, um estádio que tem a maior área para os adeptos ficarem de pé atrás da baliza da Europa num recinto com capacidade para 82 mil pessoas.

"É de loucos, não pensámos que ia ser assim" disse o técnico do Dortmund, Lucien Favre.

O quinto classificado Bayer Leverkusen já teve experiências dos dois lados da moeda. Garantiram vitórias nos três jogos fora, incluindo uma vitória por 3-1 frente ao Borussia Moenchengladbach mas a derrota em casa frente ao Wolfsburgo deixa-os fora dos lugares de acesso à Champions devido à diferença de golos.

"Não acho que seja coincidência. Os adeptos ajudar a equipa sempre e quando jogamos fora, sem adeptos, torna-se mais fácil", disse Peter Bosz, treinador o Leverkusen.

O ambicioso RB Leipzig, que está com dois pontos de vantagem sobre o Bayer Leverkusen no 3.º lugar, apenas perdeu cinco jogos em casa esta época. Dois desses jogos aconteceram depois da retoma com empates frente a Friburgo e Hertha Berlim.

"É parte importante para as equipas que retiram a sua força da euforia dos adeptos e da atmosfera do estádio", afirma o diretor desportivo do Leipzig, Makus Kroesche.

"Agora temos a impressão que equipas com mais qualidade individual ganham mais frequentemente", acrescentou.

"Sem desculpas"

Do outro lado da tabela, o Union Berlim mantém-se fora da zona de despromoção graças a vitórias contra Dortmund e Moenchengladbach no Estádio Alte Foesterei no inicio da época.

A equipa da capital germânica perdeu contra o líder Bayern e empatou com o Mainz no último mês no seu terreno, encaixado no meio de uma floresta suburbana, e estão a quatro pontos da zona de despromoção depois de terem ocupado o 10.º lugar em fevereiro.

"Não o podemos usar como desculpa, mas não posso dizer que não tem um papel quando durante todo o ano a atmosfera no Alte Foesterei é fantástica", considerou o diretor desportivo do Union, Oliver Ruhnert.

O fim de semana providencia mais uma oportunidade para as equipas visitantes aproveitarem o melhor dos recintos vazios, principalmente no domingo. O líder Bayern pode alcançar uma vantagem de 10 pontos sobre o Dortmund se vencer em Leverkusen e dar mais um passo em frente rumo ao oitavo título consecutivo na Bundesliga.

*Artigo corrigido às 16h11

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.