A Associação Académica do Fogo está moralizada para ultrapassar a “maldição” das meias-finais e chegar, pela primeira vez, a uma fase final do campeonato cavo-verdiano de futebol, disse o presidente do clube, Mário César Rodrigues Pires.
Para o jogo da primeira mão das meias-finais, frente ao Sporting da Praia, a realizar-se no sábado, no estádio 5 de julho, a formação da Académica, além do apoio do público, conta com a disponibilidade de todos os jogadores do plantel.
O  objetivo da equipa é obter um resultado positivo, quer no jogo da primeira como no da segunda mão, conforme o presidente desta agremiação desportiva.
Fundada em Julho de 1962, na cidade de São Filipe, por jovens estudantes de então, a Associação Académica do Fogo conquistou a nível da ilha 13 campeonatos regionais no pós Independência, dos quais três consecutivos (2011/12, 2012/13 e 2013/14), disputa pela quinta vez as meias-finais, procurando ultrapassar esta barreira psicológica e atingir pela primeira vez a fase final do campeonato cabo-verdiano de futebol.
A Académica chegou pela primeira vez às meias-finais do campeonato cabo-verdiano de futebol na época desportiva 1987/88, tendo sido eliminado pela formação de Santa Maria, da ilha do Sal, após um empate a um golo no estádio 5 de Julho, em São Filipe, e uma derrota no Marcelo Leitão, por 3-0.
Na sua segunda meia-final, a Académica defrontou a formação de Ultramarina de S.Nicolau, na época 2007/08 , e foi afastada com derrota em “casa” e um empate a um golo em S.Nicolau.
A sua terceira meia-final da prova aconteceu na época 2011/12 e voltou a ser eliminada por uma equipa do Barlavento, desta feita pelo Atlético de Ribeira Brava (S.Nicolau), após um empate em “casa” (São Filipe), por uma bola e uma derrota em S.Nicolau, por 2-1.
Na época passada, outra equipa do Barlavento, o Mindelense, travou a trajetória da Académica nas meias-finais, com um empate a um golo em S.Vicente e uma derrota “caseira” (0-1).
Esta temporada e como o adversário é de Sotavento, Sporting da Praia, a equipa está confiante e moralizada de que à quinta vai ultrapassar a barreira das meias-finais.
Mário César Rodrigues Pires, ex-jogador e dirigente da Associação Académica do Fogo, acredita num bom jogo e resultado.
A equipa da Académica, pelo seu palmarés, é a segunda melhor equipa da ilha do Fogo, depois do Botafogo.
Foi campeão regional nas épocas 1984/85, 1986/87, 1987/88, 1990/91, 1992/93, 1994/95, 1996/97, 2001/2002, 2003/04, 2007/08, 2011/12, 2012/13 e 2013/14, já atingiu, por cinco vezes, as meias-finais, venceu o torneio das Académicas por duas vezes (1987, na Cidade da Praia, e 1992, em São Vicente) e duas vezes classificou-se no segundo lugar do mesmo torneio (1990, em São Filipe, e 1991, na Cidade da Praia).
Já o Botafogo continua a ser a equipa do Fogo com melhor nível de palmares, com 17 títulos regionais, um título de campeão cabo-verdiano de futebol e dois vice-campeões de Cabo Verde.
O adversário, Sporting da Praia, tem um percurso de longe superior ao da  Académica. No último confronto entre as duas formações, há pouco mais de uma semana e a contar para o torneio do Dia do Município e da Bandeira de São Filipe, os leões venceram a “Micá” por 2-0, resultado que os adeptos e responsáveis desta agremiação não querem que se repita no jogo de sábado, 10 de Maio.
A equipa do Sporting chega hoje à cidade de São Filipe, devendo, à margem do jogo do campeonato cabo-verdiano, celebrar um protocolo de cooperação com o Botafogo Futebol Club.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.