Os egípcios do Al-Ahly reforçaram hoje o estatuto de ‘reis’ africanos do futebol, ao conquistarem pela nona vez a Liga dos Campeões do continente, com um triunfo por 2-1 face aos compatriotas do Zamalek, treinados por Jaime Pacheco.

A histórica final da 56.ª edição, a primeira entre dois clubes do mesmo país e à porta fechada, culpa da pandemia da covid-19, foi decidida com tentos de Amr Al Sulaya, aos cinco minutos, e Mohamed Magdy Kafsha, aos 86, contra um de Shikabala, aos 31.

O Al-Ahly já tinha arrebatado a prova em oito ocasiões, em 1982, 1987, 2001, 2005, 2006, 2008, 2012 e 2013, as quatro primeiras do século XXI sob o comando do treinador português Manuel José. O Zamalek e o TP Mazembe somam cinco cetros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.