A FIFA ameaçou cancelar a Taça das Confederações, que teve início dia 15 de junho, fazendo um ultimato ao governo brasileiro para que garanta a segurança dos intervenientes na prova.

Segundo o site UOL Esporte, o organismo que tutela o futebol mundial fez chegar à presidenta Dilma Roussef um 'recado' em que caso aconteça alguma coisa a algum membro da FIFA, das seleções que participam na Taça das Confederações ou da imprensa internacional, a prova será de imediato cancelada.

A FIFA e o Comité Organizador da Taça das Confederações negam, no entanto, ter feito qualquer tipo de ultimato

Várias cidades um pouco por todo o Brasil tem sido palco de manifestações contra a gestão do governo, nomeadamente, quanto à forma como tem sido gasto o dinheiro com a preparação para o Mundial ou Jogos Olímpicos, reivindicando melhores condições na Educação e na Saúde.

Um dos blogueres do UOL Esporte avançava esta semana que uma das seleções já tinha ameaçado abandonar a prova. «Uma delegação, que a Fifa não quer mencionar, mas cujos jogadores trouxeram famílias, está pressionando seu comando para ir embora. Eles dizem que não querem jogar futebol em uma praça de guerra», escrevia Juca Kfouri. A squadra azzurra viria a negar esta vontade.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.