O litígio entre a Câmara de Matosinhos e a União Desportiva Lavrense, que registou o terreno do antigo campo por usucapião, ficou resolvido com a cedência do espaço pelo clube à autarquia para concretizar o projeto para aquele local.

No início de abril, o presidente independente da Câmara de Matosinhos, Guilherme Pinto, transmitiu à agência Lusa a posição que havia defendido em reunião privada do executivo, de que a autarquia iria cessar relações com a União Desportiva Lavrense e revogar o contrato de cedência do seu complexo desportivo por "roubo" do terreno do antigo campo, uma vez que o clube o registou por usucapião, tendo perfeita consciência de que "era da propriedade da Câmara de Matosinhos e da Segurança Social".

Hoje, em declarações à agência Lusa, Guilherme Pinto explicou que o acordo com o clube foi alcançado, faltando agora a formalização, pondo deste modo “fim ao litígio” entre as partes, explicando que como a reversão do registo por usucapião seria um processo muito longo e complexo, aquilo que ficou acordado “foi a cedência do terreno do antigo campo de futebol à autarquia, o que permite a concretização do projeto para aquele local”.

“A cedência do terreno à autarquia será por mais de 30 anos, o que viabiliza a intenção da câmara de fazer um espaço público para encontro dos cidadãos, uma praça que permita os lavrenses dar curso às suas atividades. Vamos qualificar o espaço que está semi-abandonado”, garantiu.

O presidente independente explicou ainda que o projeto está a ser feito e mal esteja pronto a câmara vai lançar o concurso, o que garante ser para este mandato.

“As relações pessoais com a direção nunca foram beliscadas, mas, institucionalmente, a Câmara de Matosinhos tinha obrigação de defender o que é seu. Esta é uma solução que agrada a autarquia porque do ponto de vista legal, seria um processo muito longo”, justificou.

Desta forma, o contrato de cedência do novo complexo desportivo construído pela câmara à Lavrense mantém-se em vigor e o clube continuará a realizar as suas atividades naquele local.

O novo complexo desportivo de Lavra foi inaugurado em 2007 então por Guilherme Pinto, equipamento que alberga atualmente União Desportiva Lavrense, tendo então custado cerca de três milhões de euros e comporta um campo de futebol com medidas oficiais.

Para uma reunião da Câmara de Matosinhos do início de maio chegou a estar agendada "rescisão do contrato-programa de desenvolvimento desportivo celebrado com a União Desportiva Lavrense e transição da gestão do complexo desportivo municipal de Lavra para a Matosinhos Sport", mas nesse mesmo dia o ponto foi retirado porque o clube contactou a autarquia para tentar solucionar o problema.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.