A sétima edição do Campeonato do Mundo de futebol feminino arranca no sábado, no Canadá, com a Alemanha e os Estados Unidos a manterem o estatuto de ‘eternos’ favoritos, assim como o Japão, atual detentor do troféu.

Após a desilusão de há quatro anos, em que, a jogar em casa, foi surpreendida pelo Japão nos quartos de final, a Alemanha aparece novamente no Mundial como o grande favorito ao conquistar o troféu, apesar de ter uma baixa de ‘peso’.

A médio Nadine Kessler, que no início do ano recebeu o prémio de melhor jogadora da FIFA, não recuperou de um lesão do joelho e vai desfalcar a seleção germânica, que terá a liderança da guarda-redes Nadine Angerer, que se prepara para ‘arrumar’ as luvas após a competição.

Atualmente com 36 anos, Angerer esteve nos dois Campeonatos do Mundo conquistados pela Alemanha, em 2003 e 2007.

Liderada pela treinadora Silvia Neid, a formação germânica vai iniciar a prova no Grupo B, em que vai defrontar a Costa do Marfim, a Tailândia e a Noruega.

Apesar de ter vencido o Mundial pela última vez em 1999, os Estados Unidos joga praticamente em ‘casa’ no Canadá e procura esquecer a última edição da prova em que, de forma dramática, foi derrotada na final pelo Japão.

Nesse jogo, em Frankfurt, as norte-americanas estiveram, por duas vezes, a escassos minutos de conquistar o troféu, mas permitiram que as nipónicas chegassem ao empate nos instantes finais do tempo regulamentar e depois do prolongamento, acabando por perder nas grandes penalidades.

Destaque para a guarda-redes Hope Solo, que apesar de alguns problemas disciplinares, deverá voltar a ser a número 1 dos Estados Unidos, assim como para a avançado Alex Morgan e para as veteranas Rampone e Abby Wambach, que deverão disputar o último Mundial.

Aos 39 anos e com mais de 300 internacionalizações, a central Rampone é a segunda jogadora da história com mais jogos pela seleção norte-americana, enquanto Wambach, 35, é a melhor marcadora de sempre da equipa, com 182 golos.

Os Estados Unidos aparecem no Grupo D, juntamente com a Suécia, Austrália e Nigéria.

Depois de em 2011 ter surpreendido tudo e todos ao sagrar-se campeão mundial, o Japão aparece no Canadá com um estatuto completamente diferente do que há quatro anos, mas ainda liderado por Homare Sawa.

Agora com 36 anos, Sawa foi a estrela do Mundial2011, tendo vencido o prémio de melhor jogadora e de melhor marcadora.

No Grupo C, o Japão vai defrontar a Suíça, o Equador e os Camarões.

Na lista dos ‘outsiders’, a Suécia, liderada pela conhecida treinador Pia Sundhage, o Brasil, da avançada Marta, e a França aparecem como equipas que podem surpreender no Canadá.

Os jogos do Mundial2015, que vai decorrer até 5 de julho e que pela primeira vez terá 24 equipas (mais oito que a última edição) vão realizar-se em Vancouver, Edmonton, Winnipeg, Ottawa, Montreal e Moncton.

Tailândia, Suíça, Espanha, Camarões, Costa Rica, Costa do Marfim, Holanda e Equador vão disputar pela primeira vez a fase final da competição.

O Campeonato do Mundo de 2015 arranca no sábado com o encontro entre o Canadá e a China, no estádio Commonwealth, em Edmonton.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.