Um árbitro da Associação de Futebol de Viseu (AFV), dois dirigentes do Sporting de Lamego e o próprio clube foram condenados pelo Tribunal de Viseu a penas de multa, pelo crime de corrupção activa.

No acórdão datado de terça-feira, o tribunal aplicou a multa mais elevada ao Sporting Clube de Lamego, que foi condenado pela autoria de um crime de corrupção activa.

A pena foi de 200 dias de multa à taxa diária de 110 euros, o que totaliza 22 mil euros.

Fernando Dias, Rodrigo Guedes e Jerónimo Medeiros foram condenados pela co-autoria de um crime de corrupção (desportiva) activa agravado, na pena de 200 dias de multa para cada um deles, ainda que a taxas diferentes.

No total, Fernando Dias terá de pagar 2.000 euros, Rodrigo Guedes 1.600 euros e Jerónimo Medeiros 1.800 euros.

O Ministério Público tinha ainda acusado Fernando Dias dos crimes de corrupção passiva e de tráfico de influências, dos quais foi absolvido.

Durante o julgamento, foi ouvido o presidente do Conselho de Arbitragem da AFV, João Caiado, que contou ter sido abordado relativamente a duas situações, uma delas denunciada por um dirigente do Campia, que disse «que havia um árbitro que queria dinheiro», e outra pelo árbitro Carlos Pires, segundo o qual um colega lhe estava «a oferecer dinheiro» para influenciar o resultado do jogo que ia arbitrar no dia seguinte.

Mediante estas denúncias, e com a ajuda da PSP, foi montado um esquema que resultou na detenção dos dirigentes desportivos e do árbitro, na saída da A24 para Castro Daire.

No mesmo dia foi também detido o árbitro José Cunha, que entretanto já foi absolvido num processo que correu em separado do Tribunal de Tondela.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.