O Desportivo de Chaves adiantou-se hoje na fase de apuramento do campeão nacional da II Divisão de futebol, ao vencer o Académico de Viseu por 1-0, numa partida disputada no Estádio do Restelo.

Depois de terem assegurado a subida à II Liga, os dois conjuntos apresentaram-se em campo sem a intensidade demonstrada ao longo da época.

Um tento de Mário Mendonça, aos 77 minutos, foi suficiente para "carimbar" a vitória da equipa de Trás-os-Montes e, consequentemente, a conquista dos três pontos perante o Académico de Viseu.

Ambos os conjuntos estiveram longe de proporcionar um espetáculo de qualidade nos primeiros 45 minutos. No entanto, durante esse período, existiu uma "mão cheia" de lances perigosos para as duas equipas, sobretudo para os transmontanos.

A equipa orientada por João Pinto entrou por cima do desafio e dispôs de duas boas ocasiões nos primeiros cinco minutos do encontro, ambas pelo avançado Ricardo Teixeira, e, até ao intervalo, o Chaves obrigou ainda o guarda-redes adversário a duas boas defesas, na sequência de dois remates de longe por intermédio de Álvaro e Tijane.

A resposta do Académico de Viseu surgiu à passagem do 34.º minuto, depois de uma falha de Ricardo Chaves, com a bola a sobrar para Luisinho, que, isolado, permitiu a defesa a Paulo Ribeiro.

No segundo tempo, o jogo continuou a ser disputado num ritmo pouco intenso e sem grandes lances de perigo para ambas as equipas, até que, ao minuto 77, surgiu o único golo do desafio. Numa rápida jogada no corredor direito conduzida por Kuca, o extremo "azul grená" centrou para Mário Mendonça, que havia rendido o perdulário Ricardo Teixeira minutos antes, e este rematou colocado com o pé esquerdo, desbloqueando assim o marcador.

Até final, mesmo sem incomodar seriamente os visitantes, o Académico de Viseu até poderia ter evitado a derrota nos últimos dez minutos do desafio, mas Zé Rui chegou atrasado ao cruzamento efetuado por Álvaro e perdeu a possibilidade de empatar o encontro. Já nos descontos, o mesmo Zé Rui apontou um livre perigoso para defesa apertada do guarda-redes Paulo Ribeiro.

Após o apito final de André Gralha, as equipas procederam à marcação de grandes penalidades, que constituirá o último critério de desempate em caso de igualdade pontual no final dos três jogos. Neste desempate, o guarda-redes do Chaves, Paulo Ribeiro, foi determinante para a vitória (4-2) do conjunto de Trás-os-Montes, ao defender os remates de Kifuta e Sérgio Duarte. A equipa de João Pinto desperdiçou apenas um remate da marca dos "onze metros", quando Kuca acertou na trave.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.