O Vitória de Setúbal, do Campeonato de Portugal de futebol, revelou hoje, em comunicado, que uma dívida a dois ex-atletas do clube, que apresentaram queixa na FIFA, impede o clube de inscrever jogadores.

A informação foi dada no documento publicado no sítio oficial do clube, em que a direção presidida por Paulo Rodrigues, eleito para o cargo em 18 de outubro, dá conta dos problemas em que estão focados em trabalhar para resolver.

“Conseguimos, finalmente, um acordo com o clube brasileiro que nos impedia de inscrever jogadores. Esse grande entrave, contudo, foi prejudicado com a entrada de mais dois processos de queixa na FIFA de dois ex-atletas do Vitória FC SAD da época passada por incumprimento de pagamentos de ordenados e prémios”, referem.

Os responsáveis do conjunto setubalense, que foi despromovido pela Liga ao Campeonato de Portugal por incumprimento dos pressupostos financeiros, anteveem uma árdua batalha para desbloquear a situação.

“Teremos mais duas difíceis negociações pela frente para que este impasse deixe de ser um problema grave, pois, para competir e garantir a inscrição de atletas nas modalidades de futebol e futsal, será necessário garantir o entendimento e acordo com as outras partes”, explicam.

Apesar de a regularização dos salários em atraso ter sido apontada como prioritária durante o processo eleitoral, a direção presidida por Paulo Rodrigues ainda não conseguiu cumprir o prometido.

“Os salários em atraso são de 18.000 euros (julho), 24.000 (agosto) e 23.000 (setembro), arredondados. Não havendo ‘boa vontade’ em resolver este assunto, nada conseguimos fazer nestas duas últimas semanas para solucionar este problema, que é um problema de todos nós. Ainda não conseguimos ter acesso às contas bancárias e a sua alteração dos antigos diretores nas finanças e no banco, quer das contas do clube e da SAD”, lamentam.

Questões relacionadas com “erros burocráticos e processuais” da anterior direção, liderada por Paulo Gomes, são apontadas como entrave à resolução do problema.

“Este problema persiste por diversos erros burocráticos e processuais na entrega das cartas de renúncias dos anteriores membros da direção, que não estavam em conformidade segundo as diretrizes da Conservatória para emissão das certidões que conferem os poderes para podermos movimentar as contas do Vitória FC”, referem.

O comunicado refere que estão a ser dados passos para tratar os 'doentes' “Vitória FC e o Vitória FC SAD, que não têm vivido dias propriamente bons”, admitem.

"Estão 'doentes' e temos de os ajudar a reerguer. Acreditamos que até ao final do ano (dois meses) conseguiremos fazer a Assembleia-eral com números verdadeiros para a apresentação do Relatório & Contas. No que diz respeito à saúde financeira do clube e da SAD, temos um departamento de advogados a trabalhar connosco para fazer uma auditoria interna das contas do Vitória FC”, avançam.

Os responsáveis do Vitória de Setúbal asseguram no comunicado que decorrem reuniões com o investidor que apresentaram como parceiro durante a campanha eleitoral.

“Estamos a negociar com a 'FundBox Holdings' e já recebemos a carta de interesse desse grupo para passarmos ao memorando de entendimento do negócio e parceria a desenvolver entre o Vitória FC/Vitória FC SAD e a FundBox para que se finalize o negócio para ser discutida e aprovada ou não em Assembleia-Geral de sócios. Os sócios são sempre soberanos na decisão a tomar”, frisam.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.