Continua a dar que falar o jogo entre o jogo Torreense-Anadia, da 25.ª jornada da Série C do Campeonato de Portugal. No centro das atenções está o árbitro Luís Reforço, da Associação de Futebol de Setúbal. O juiz do encontro assinalou uma grande penalidade contra o Anadia aos 65 minutos, quando a equipa da casa perdia por 1-0. No vídeo disponibilizado pelo Anadia, da transmissão do jogo, não é possível ver falta no lance.

Veja o vídeo

Mas, tomada a decisão, Evaldo encarregou-se marcar a grande penalidade e atirou ao lado. Para surpresa de todos, o árbitro Luís Reforço, mandou repetir por entender que alguém terá invadido a área. Só que o juiz não conseguia identificar o jogador que invadiu a área antes de a bola partir. Desorientado, apontou para Rúben Silvestre, número 19 do Anadia que, em momento algum entra na área.

Na segunda repetição, Evaldo permitiu a defesa do guarda-redes Alexandre Verdade mas Luís Reforço voltou a ver uma invasão de área antes do pontapé. Até houve, mas o primeiro a invadir a área é Marcos Júnior, o número 31 do Torreense. O árbitro aponta para Pedro Santos, mostra-lhe amarelo e manda repetir a grande penalidade pela terceira vez.

Nesse momento, os jogadores do Anadia tentaram abandonar o jogo e estiveram perto dos túneis de acesso aos balneários. Voltaram atrás para ver Marcos Júnior bater Alexandre Verdade apenas à terceira, convertendo a grande penalidade que deu o empate. Leandro Souza fez o tento da vitória dos homens de Torres Novas aos 88. O Anadia jogava com nove, após as expulsões de Tiago Borges (duplo amarelo) aos 54 e Michael dos Santos (vermelho direto aos 66).

Depois de tomar conhecimento da atuação do juiz, o Conselho de Arbitragem da FPF decidiu suspender, de imediato, o árbitro Luís Reforço.

O presidente do Anadia estava revoltado com a atuação do juiz da Associação de Setúbal.

"O que se passou ali é que havia um doido dentro de campo. Já pedimos uma reunião ao Conselho de Arbitragem da FPF. Pretendemos que os nossos jogadores sejam despenalizados. Trata-se de um árbitro que nunca devia ter sido. Se tem a ver com o Anadia? Julgo que não, mas hoje em dia ouve-se falar tanto em apostas...", comentou Vasco Oliveira, em declarações à edição desta segunda-feira do jornal 'Record', frisando que no final do encontro os jogadores do Anadia estavam a chorar, revoltados e frustrados e que só não saíram de campo porque o treinador não deixou.

O Anadia é 3.º da Série C do Campeonato de Portugal, com 41 pontos, menos um que o Benfica e Castelo Branco e menos 12 que o líder Praiense. Já o Torreense é 9.º com 34 pontos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.