O selecionador do Brasil Tite reconheceu nesta segunda-feira que praticamente não dormiu nas últimas noites por causa da adrenalina antes do choque de gigantes entre Brasil e Argentina na meia-final da Copa América.

"Eu falei que estou na expectativa danada, que não consigo dormir, não vou dormir de novo. Será um grande jogo, um grande espetáculo", afirmou o técnico de 58 anos, na véspera do "superclássico" de terça-feira, no estádio do Mineirão em Belo Horizonte.

"Ontem acordei às 3h15, fiquei a pensar... e tenho hábito de anotar. Essa é a realidade do treinador. Ontem chegou a minha esposa, dormi melhor. A expectativa é alta, continua igual", acrescentou.

Um dos motivos que perturbaram o sono de Tite é Lionel Messi, o craque argentino que ainda não brilhou nesta Copa América, mas "que pode fazer a diferença a qualquer momento".

"Não se anula Messi. Não. Pode-se diminuir as ações dele. Mas não se pode neutralizar as ações dele", explicou o técnico, destacando que a "Argentina também melhorou no plano coletivo".

Tite não dorme muito, mas também não tem pesadelos com a ideia de jogar no Mineirão, palco da pior humilhação da história do futebol brasileiro, o 7-1 contra a Alemanha na meia-final do Mundial de 2014.

Sob o seu comando, a seleção já jogou no estádio, exatamente contra a Argentina, e venceu com autoridade (3-0) nas eliminatórias para o Mundial de 2018.

"Funciona nos dois sentidos. Essa vitória não nos dá vantagem assim como o 7-1 não nos dá uma desvantagem. Será um outro jogo, um grande jogo. A rivalidade é imensa, mas só rivalizamos com aqueles que admiramos", concluiu Tite.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.